O suicídio de Francisjones!

Por Nivaldo Ramos

No dia 24 de dezembro, véspera de Natal, Francisjones Oliveira Miranda, 37 anos, embriagado suicidou-se na varanda da sua casa!
Sim o Jones do gás, como era conhecido pela maioria das pessoas de São Lourenço da Serra, muito alegre, muito divertido, Jones era amigo de todos.
O que teria levado Jones a fazer isso? Situação financeira ruim? Amor não correspondido? Ou simplesmente uma brincadeira que não deu certo?
Em entrevista ao Pardal, a esposa de Jones, Priscila Flauzio Miranda disse que havia conhecido seu marido através do Facebook. Em 2016 casaram-se com muita alegria e Jones se dava muito bem com os dois filhos de Priscila, um menino de nove outro de cinco anos.
Após o casamento o casal foi morar em São Paulo no jardim das Oliveiras. Moravam no 12º andar de um prédio de apartamentos. Em certa ocasião após uma discussão, Jones cortou a tela de proteção e ameaçou se jogar lá de cima.
Quando Priscila viu a cena, puxou-o para dentro, acalmando-o, Priscila então perguntou se ele teria realmente coragem de fazer aquilo, ele respondeu que não, porque ele acreditava que quem se suicida vai para o inferno e que ele tinha feito aquilo só para chamar a atenção e não se separar dela.
Esse fato ocorreu ao completarem 5 meses de casados. Priscila assustada, contou o ocorrido a família de Jones, que reagiu sem dar muito crédito ao ocorrido.
O casal se mudou para São Lourenço no dia 21 de dezembro, para uma casa com varanda localizada no bairro Portal.
Estavam muito felizes na nova casa, mas no dia 24 de dezembro Jones passou o dia inteiro em um bar, retornando alterado para casa as 8 horas da noite. Ao se deparar com a cena, Priscila não quis conversar com ele naquele estado, insistindo para que ele tomasse um banho se acalmasse e dormisse, e que no dia seguinte eles conversariam.
Ele não aceitou e começou a ir atrás de Priscila, discutindo, e no calor da discussão a esposa tirou a aliança do dedo e disse que não tinha casado com ele para perde-lo para um bar.
Aí ele perguntou se era isso mesmo que ela queria, e ela disse que sim, por diversas vezes ele pediu perdão. Ela estava com muita raiva e não queria discutir mais na frente das crianças.
Priscila se tranca no quarto e Jones do lado de fora pergunta aos gritos se era aquilo mesmo que ela queria. Priscila responde que sim, Jones indignado em tom ameaçador diz: –Você vai ver só!
Passam 5 minutos, Priscila pede para seu filho chamar o pai, o menino vai a procura e avisa que o pai não estava.
De dentro da cozinha através da janela Priscila vê o marido pendurado na corda, Ela se desespera, corre para fora da casa, as crianças ficam em choque começam a chorar, Priscila não tem coragem de olhar a cena, ela acha que ele estava novamente fazendo uma encenação.
Então corre para a casa do vizinho e pede socorro, o vizinho corta a corda tenta ressuscitar através de massagem cardíaca, mas tudo foi em vão!
Jones estava morto!
Priscila acredita que ele não queria fazer isso de verdade, ela acredita que ele subiu no botijão de gás e enquanto arrumava a corda no pescoço desequilibrou-se e aconteceu a fatalidade.
A reportagem do Jornal O Pardal conversou com bastante amigos de Jones em São Lourenço, todos dizem a mesma coisa, era um cara legal, brincalhão e que nunca faria uma coisa dessas.
Talvez Jones tenha feito apenas uma armação no intuito de ficar em uma boa com sua esposa, mas o acaso fez com que o botijão de gás saísse debaixo de seus pés.
Bem diferente do caso do Paiol do meio, em que premeditadamente, o rapaz mata a sua esposa e se suicida!
Priscila, agradece a Deus por ter colocado Jones na sua vida, ele a tratava como uma princesa.”Onde quer que ele esteja o meu coração sempre estará com ele, sou muito grata a ele por tudo que fez por mim e para as crianças, não tenho o que falar dele e tenho certeza do amor que ele sentia por mim. Vou amá-lo sempre e nunca irei esquece-lo”, disse Priscila durante a entrevista.
Ela agora tem que lidar com as saudades e incertezas do futuro e o fato de sofrer acusações injustas dos familiares de Jones que a julgam culpada pelo acontecido.
Jones fique com Deus!

jornalopardal

Jornal O Pardal, distribuído gratuitamente nas cidades de Juquitiba e São Lourenço da Serra, formato Germânico impresso à 4 cores. Com uma diagramação moderna e comunicativa as matérias são sempre de agrado do público. Leia você, também, o Jornal O Pardal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *