sexta-feira, 23, fevereiro, 2024

Após 2 anos e meio sem reajuste, pedágio de Bueno terá novas tarifas a partir de 1 de janeiro

Último reajuste ocorreu em 1º de julho de 2021; pedágio garante manutenção de serviços e segurança aos usuários com investimentos na estrada vicinal

Mais lido

Após 2 anos e meio sem reajustes, os novos valores do pedágio municipal instalado na estrada vicinal Graciano da Ressurreição Affonso, que liga Araraquara ao Distrito de Bueno de Andrade, começarão a vigorar no próximo dia 1º janeiro de 2024. Nesta data, todas as praças de pedágio passam por reajuste no Estado.

De acordo com a Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade Urbana, a última alteração do valor do pedágio ocorreu em 2021, sendo necessário este reajuste com base na variação dos índices praticados pelo IGP-M (FGV) no período compreendido entre 1º de julho de 2021 e 11 de novembro de 2023, que foi de 1,16734140%. Aplicada a variação, a tarifa para veículos de passeio passará de R$ 5 para R$ 5,50 a partir de 1 de julho de 2024, sendo o mesmo valor para cada eixo de caminhões, carretas e reboques.

De acordo com Nilson Carneiro, secretário municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade Urbana, o objetivo é manter a qualidade dos serviços prestados e os investimentos para as melhorias na via, garantindo a segurança dos usuários.

“O pedágio possibilita investimentos importante na vicinal, incluindo a limpeza da área verde e o recapeamento da pista, o Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU), com guincho até o limite do município, além da conservação e implantação de sinalização exigida pela legislação de trânsito que garante a segurança dos usuários. E vale lembrar que o principal objetivo da implantação do pedágio no distrito de Bueno era acabar com as rotas das carretas que faziam fuga da Rodovia Washington Luís, o que vinha ocasionando uma alta deterioração no asfalto e inclusive um expressivo número de acidentes, muitos deles com vítimas fatais. Isso foi plenamente alcançado”, afirma Nilson.

Ele salienta ainda que, além das melhorias na estrada, o município tem uma série de despesas relacionadas à operação do próprio pedágio. Entre esses custos, Nilson Carneiro cita contratos com as empresas que atuam para bom andamento do trabalho, que são a empresa de software e hardware que controla toda parte do sistema eletrônico como cancelas, cabines, computadores, servidores, câmeras de TV e toda parte de informática; a empresa de carro forte para retirar o dinheiro do local; a empresa de guincho 24 horas; a empresa responsável pela manutenção do gerador; a empresa de segurança que trabalha 24h por dia com guardas armados; a empresa que faz operação de arrecadação dentro das cabines; a empresa de limpeza, além de uma empresa que faz a manutenção de toda a estrada, com roçada, tapa-buraco, podas de árvore, além da sinalização horizontal e vertical.

“Existe todo um custeio para manter todas essas prestações de serviços da rodovia e do funcionamento do próprio pedágio e a rodovia conta com diversos investimentos de melhoria. Um exemplo recente é a obra de reparo de uma diferença de altura de quase 15 centímetros entre a pista asfaltada e a entrada do Assentamento Monte Alegre. Fizemos neste local toda a terraplenagem e compactação de solo, justamente para deixar a terra no mesmo nível do asfalto. Portanto, o pedágio tem garantido investimentos importantes na rodovia, que está recapeada e sinalizada. Já o acostamento está sendo feito de acordo com o orçamento; já foi executado um longo trecho entre o pedágio da divisa de Matão, e agora outros locais serão escolhidos gradativamente”, concluiu.

O decreto que fixa os novos valores com a tabela completa foi publicado nos Atos Oficiais do Município desta quinta-feira (21).

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias