quinta-feira, 18, abril, 2024

Começa hoje a Semana do Circo de Araraquara

27 de março é comemorado o Dia Nacional do Circo; programação apresenta o tema “Julieta Presente, Julieta Semente”

Mais lido

A 3ª Semana do Circo de Araraquara tem início nesta quarta-feira (27), data que é comemorado o Dia Nacional do Circo. Com o tema “Julieta Presente, Julieta Semente”, em homenagem à artista circense e cicloativista Julieta Hernández, a edição segue até o dia 07 de abril com atividades gratuitas, realizadas pela Secretaria Municipal da Cultura e Fundart.

Teresa Telarolli, secretária municipal da Cultura, ressalta que a edição deste ano é profundamente significativa sob vários aspectos. “Se de um lado é a feliz reiteração de um compromisso com a arte circense, suas manifestações e seus artistas, de outro é uma pungente manifestação de resistência frente à inominável violência sofrida por Julieta Hernandes, assassinada covardemente. Que a nossa 3ª Semana do Circo de Araraquara, seja instrumento de celebração à vida e à alegria, daquele jeito que só a arte consegue promover.”

O evento tem organização de Bárbara Monteiro e Denis Pimenta que, junto a Bel Macari e Gabriel Guimard, assinam a curadoria da Semana. Bárbara Monteiro conta que a semana do circo deste ano é voltada a celebrar Julieta Hernandes, palhaça, imigrante, ciclista e mulher. “Realizaremos um manifesto por sua vida, como forma de refletir e reviver seus ideais e ressignificar e assimilar sua história através da arte. De modo que Julieta vire semente que se espalha entre artistas e sua arte, germinando seu trabalho e não deixem diminuir a luz dos assuntos que ainda precisam ser debatidos como a luta diária de ser mulher em nossa sociedade.”

Bárbara e Denis foram tocados pelas notícias e manifestos que aconteceram em todo o Brasil no começo do ano devido à morte da artista e, assim, optaram pela temática que homenageia Julieta. “Queríamos usar a imagem de Julieta para trabalhar o circo e a luta da mulher – as duas comemorações que acontecem em março – interligando esta homenagem. Dando luz à circenses mulheres e discutindo através da arte como é ser mulher na sociedade, no circo, seus medos e desafios.”

Programação

A abertura da 3° Semana do Circo será realizada no Palacete das Rosas, às 19h30, reunindo apresentação do Bonde das Batukera com “Batukeras cantam Julieta”, Cena “In Reflexos” e roda de conversa com Dalila Lamour (palhaça ZiggyFrida). Não é necessário ingresso: basta chegar e participar.

A programação conta com oficinas de circo atendendo o público de instituições da cidade: “Espalhando circo”, com Kleber Gregório; “Tecido acrobático – descobrindo as potencialidades do corpo”, com Salete Coelho; oficina de Malabarismo “Consciência corporal através do malabarismo”, com Lucas Furtado; e oficina de bambolê “Criando possibilidades bambolísticas”, com Maíra Baltazar.

As diversas oficinas atenderão: Centro de Ressocialização Feminino, Casa das Margaridas, Quilombo Rosa, Oficina das Meninas, e Centro de Referência da Mulher.

Também, a oficina “Clownsciência de palhaçaria feminina” será realizada no Centro de Referência da Mulher Heleieth Saffioti no dia 07 de abril (domingo), com vagas disponíveis a mulheres e pessoas dissidentes que desejam explorar o mundo da palhaçaria de uma perspectiva feminista. As inscrições serão divulgadas em breve.

Através de atividades e exercícios práticos, a oficina “Clownsciência” oferecerá um espaço seguro e inclusivo para que as participantes experimentem a arte da comédia e do clown. Ainda, a oficina terá momentos de discussão e reflexão sobre o papel do humor na desconstrução de normas sociais e no combate ao patriarcado. As participantes serão encorajadas a compartilhar suas experiências e perspectivas individuais, promovendo um ambiente de aprendizado colaborativo e enriquecedor.

No dia 06 de abril, sábado, a programação conta com o Cortejo das Trisalhaças saindo do Palacete das Rosas em direção à Praça Pedro de Toledo, onde haverá diversas atividades. As Trisalhaças, com malabarismos, acrobacias, música e muita diversão, prometem emocionar o público neste cortejo que tem início às 10h30 no Palacete das Rosas. Já na Praça Pedro de Toledo, às 11h30 tem início a apresentação “Julieta Presente, Julieta Presente”, com números de artistas da cidade: “Mira”, com Maíra Baltazar; “Lavo aqui, lavo lá”, com Laís Justus; e “Esperando Julieta”, com Rian Santos e Rafael Campos.

Por fim, na noite do dia 06 de abril, no Palacete das Rosas, será apresentado o espetáculo “Escolhas”, às 20 horas. Com criação baseada na pesquisa da palhaça Juliana Bordallo sobre dramaturgia feminista e comicidade feminina, desenvolvida desde 2016, o projeto foi contemplado no edital Proac Expresso Editais de 2021 e circulou por unidades da Fundação Casa femininas do Estado de São Paulo, usando o riso para refletir sobre questões como abuso, controle, desigualdade, machismo e historicidade enfrentadas por essas mulheres, com o objetivo de construir novas possibilidades de relações interpessoais. A classificação é para 12 anos e a retirada de ingressos será uma hora antes da apresentação.

Vale lembrar que a programação conta ainda, até maio, com a instalação “Julieta Presente” no Centro de Referência da Mulher e na Secretaria Municipal de Direitos Humanos, com murais de grafite de Miss Jujuba, a palhaça de Julieta, além de um banner com a história da personagem e da mulher, assim como a escultura de bicicleta marcando a viagem eternizada de Julieta.

Julieta Hernández 

A artista venezuelana Julieta Hernández foi uma migrante nômade, bonequeira, palhaça e viajante de bicicleta. A venezuelana chegou ao Brasil em 2016 e há quatro anos viajava de bicicleta pelo país. A maioria das suas apresentações era feita na rua, mas Julieta também se apresentava em teatros. Ela pedalava de volta ao país de origem quando foi morta brutalmente no Amazonas.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias