terça-feira, 16, abril, 2024

Idosa, de 92 anos, morre em decorrência da Covid-19

Araraquara soma até hoje, dia 22 de março, 241 confirmados de dengue em 2024, 02 de Chikungunya e 01 de zika

Mais lido

Araraquara registrou hoje, dia 22 de março, mais 34 casos positivos de Covid, o equivalente a 16% de um total de 204 amostras analisadas nos serviços públicos e privados de saúde, de sintomáticos e assintomáticos.

Portanto, Araraquara soma hoje 6.719 casos confirmados de Covid-19 em 2024.

Hoje, são 12 pacientes internados: 5 na UTI (4 de Araraquara) e 7 em enfermaria (4 de Araraquara). Quatro pacientes são de outros municípios.

O município registrou 15 óbitos decorrentes de Covid-19 em 2024. O registro de óbito mais recente é o de uma idosa de 92 anos, com comorbidades, que estava internada e faleceu no último dia 19 de março.

Reforçamos que as pessoas com sintomas de síndrome respiratória (coriza, febre, mal-estar, dor de cabeça, tosse) devem usar máscaras a partir dos primeiros sintomas para evitar contaminação e procurar atendimento em uma das 3 UPAS de Araraquara para realização do teste. Se positivada para Covid-19, a pessoa deve permanecer sete dias em isolamento, a partir do primeiro dia de sintoma.

Lembrando também que a vacinação contra a Covid-19 continua no município. As pessoas que precisam completar o esquema vacinal devem procurar qualquer uma das unidades de saúde do município e unidade do Sesa.

Sobre a dengue

Araraquara soma até hoje, dia 22 de março, 241 confirmados de dengue em 2024, 02 de Chikungunya e 01 de zika.

Não houve registro de óbito.

Em Araraquara, hoje, são 145 casos prováveis de dengue a cada 100 mil habitantes.

No Brasil, são 2.010.896 casos (990 a cada 100 mil habitantes), com 682 mortes. Também são 97.508 casos prováveis de Chikungunya e 1.318 de zika.

No Estado de São Paulo são 379.222 casos de dengue (854 a cada 100 mil habitantes) e 98 óbitos. São 3.684 casos prováveis de Chikungunya e 01 de zika.

As ações de combate ao mosquito transmissor da dengue e outras doenças no município continuam intensificadas. Mas, é preciso uma força-tarefa da Prefeitura e comunidade para eliminarmos os criadouros.

Sobre imóveis e quadras visitados, inservíveis retirados e focos eliminados, os dados serão atualizados semanalmente. 

Portanto, do início de 2024 até esta semana, 118.640 imóveis foram visitados pelos nossos Agentes de Controle de Vetores à Endemias e Agentes Comunitários. Neste mesmo período, foram retirados 252.290 quilos de materiais inservíveis, potenciais criadouros do Aedes.

Desde o início do ano até esta semana, das 3.860 quadras visitadas pelas nossas equipes, foram identificados e eliminados 2.563 focos do mosquito.

A limpeza dos quintais e terrenos, com a retiradas de qualquer objeto que acumula água, é fundamental no combate ao mosquito, porque 85% dos focos estão dentro das próprias residências.

Em caso de dúvida sobre a identificação dos agentes que realizam o chamado casa a casa, o telefone de contato é o (16) 3303-3123.

Além de cuidar da própria casa, o munícipe também pode identificar imóveis e outros locais problemáticos e avisar para o Controle de Vetores e a Ouvidoria da Vigilância em Saúde, por meio dos telefones (16) 3303-3115 e 0800-774-0440. Ou pelo WhatsApp da Prefeitura, que atende pelo número (16) 99760-1190.

Apresentando algum dos sintomas de dengue (febre, dores musculares intensas, dor nos olhos, mal-estar, falta de apetite, dor de cabeça e manchas vermelhas no corpo), a pessoa pode procurar qualquer uma das unidades de saúde do município ou pronto-atendimento. 

Todas as informações sobre a Covid e dengue no município são atualizadas no site e nas redes sociais da Prefeitura.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias