segunda-feira, 20, maio, 2024

Ignácio de Loyola anuncia Djamila Ribeiro como homenageada da FliSol 2024

FliSol – Festa Literária da Morada do Sol será realizada oficialmente, de 07 a 10 de novembro, no Teatro Municipal

Mais lido

A 3ª edição da FliSol – Festa Literária da Morada do Sol, realizada pela Prefeitura de Araraquara por meio da Secretaria Municipal da Cultura e Fundart e o Instituto Colibri, foi lançada na última sexta-feira, 03 de maio, na Casa SP Afro Brasil “Oswaldo da Silva Bogé”.

Antes do anúncio sobre a escritora homenageada nesta edição, uma frente de honra formada por mulheres foi composta por Bernadete Passos, realizadora da FliSol e presidente do Instituto Colibri; Adriana Medina, coordenadora de Patrimônio Histórico, representando o prefeito Edinho Silva e a secretária da Cultura, Teresa Telarolli; a deputada estadual Márcia Lia; a secretária municipal de Educação, Clélia Mara Santos; a vereadora Fabi Virgilio (PT), representando a Câmara Municipal; e Alessandra Laurindo, anfitriã do espaço e coordenadora de Políticas Étnico-Raciais. Também acompanharam a cerimônia de lançamento da Feira demais secretários, gestores municipais e o vereador Alcindo Sabino (PT).

O escritor “imortal araraquarense” Ignácio de Loyola Brandão – patrono da festa literária – acompanhado por Dani Raphael (Educativo) e Nerita Pio (FliSolzinha), ambas da equipe FliSol – anunciou Djamila Ribeiro com a homenageada da 3ª edição da FliSol.

“Djamila Ribeiro é uma das pessoas mais importantes que conheci… é fascinante, linda! Uma mulher ativista, inteligente e culta”, elogiou Ignácio. “Contem as horas e os minutos para conhecerem Djamila Ribeiro”, adiantou. “Leiam a obra dela”.

Grasiela Lima, coordenadora de Políticas para Mulheres, foi a convidada para contar mais sobre Djamila Ribeiro – esta filósofa, feminista negra, escritora e acadêmica brasileira, pesquisadora e mestra em Filosofia Política pela Universidade Federal de São Paulo, com vários prêmios literários, publicações em 3 línguas, imortal da Academia Paulista de Letras – entre outras.

Em vídeo enviado à organização da FliSol, Djamila Ribeiro mandou uma mensagem ao público presente no lançamento, dizendo ser a primeira vez que será homenageada e uma festa literária e que no dia 07 de novembro estará em Araraquara, na abertura da FliSol, ao lado de Ignácio de Loyola Brandão.

A homenageada deste ano será tema de parte do Educativo, nas atividades efetuadas com os professores da rede municipal de Educação, ainda neste primeiro semestre. A programação do Educativo também contará com atividades para os alunos da rede no segundo semestre, quando será realizada oficialmente a programação de 07 a 10 de novembro.

Bernadete Passos, realizadora da FliSol e presidente do Instituto Colibri, divulgou o cronograma das atividades: agora em maio será lançado o edital para a seleção dos escritores, junho tem início a programação do Educativo, de agosto a outubro acontecem as atividades da FliSolzinha, de setembro a outubro é   vez do Esquenta FliSol, e emnovembro, de 07 a 10 de novembro, a programação oficial da festa.

O encerramento do encontro na última sexta-feira contou com chorinho, integrando música e literatura, com a participação dos convidados Eloi Brito Quarteto e Junior Barros. Também, os empreendedores da Feira Afro expuseram seus trabalhos durante o lançamento. O evento contou com o apoio da Coordenadoria de Políticas Étnico-raciais da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Participação Popular.

A FliSol 2024 é uma realização do Instituto Colibri, em parceria com a Prefeitura de Araraquara, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Fundart e da Coordenadoria de Acervos e Patrimônio Histórico. Entre os parceiros do evento estão Câmara Municipal de Araraquara, EPTV – São Carlos, Senac Araraquara, Sesc Araraquara, Unesp – Araraquara, Uniara, SESI -Araraquara, IFSP, ETEC Araraquara, Academia Araraquarense de Letras, além de SICOOB, Drogaven e Coletivo MEA.

Conheça mais Djamila Ribeiro

Nascida em 1980, Djamila Taís Ribeiro dos Santos é graduada em Filosofia e mestra em Filosofia Política pela Universidade Federal de São Paulo. É coordenadora da Feminismos Plurais, que compreende o Espaço Feminismos Plurais, a Plataforma online Feminismos Plurais e o selo editorial Sueli Carneiro, o qual publica a Coleção de livros Feminismos Plurais.

É autora dos livros “Lugar de Fala” (Jandaíra/Feminismos Plurais), “Quem tem medo do Feminismo Negro?”, “Pequeno manual antirracista” e “Cartas para minha avó” (Companhia das Letras), com traduções para três idiomas. É também professora convidada do departamento de jornalismo da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e pesquisadora convidada da University of Mainz (Alemanha).

Desde 2022, é imortal da cadeira nº 28 da Academia Paulista de Letras. Colunista do jornal Folha de S. Paulo e esteve, em 2016, secretária adjunta de Direitos Humanos de São Paulo em 2016. Foi laureada pelo Prêmio Prince Claus de 2019, concedido pelo Reino dos Países Baixos e considerada pela BBC como uma das 100 mulheres mais influentes do mundo.

Em 2020, ganhou o Prêmio Jabuti, o mais importante do meio literário brasileiro, na categoria Ciências Humanas, pelo Pequeno Manual Antirracista. Em 2021, foi a primeira pessoa brasileira da história a ser homenageada pelo BET Awards, concedido pela comunidade negra estadunidense. Em 2023 recebeu o Prêmio Franco-Alemão de Direitos Humanos.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias