quinta-feira, 18, abril, 2024

Manutenção de árvores: mais de 1.200 serviços pendentes em Araraquara

Vereador Rafael de Angeli (PSDB) cobra transparência e eficiência na gestão, incluindo serviços protocolados há mais de dois anos

Mais lido

Mais de 1.200 serviços de poda e remoção de árvores aguardam para ser executados em Araraquara. Esses são alguns dos dados fornecidos pelo Município em resposta enviada ao vereador Rafael de Angeli (PSDB), que pediu, no Requerimento nº 960/2023, informações sobre a metodologia usada na manutenção arbórea após o registro de queda de árvores em diversos bairros em decorrência dos temporais que atingiram a cidade nos meses de outubro e novembro de 2023.

No documento enviado à Prefeitura, existem questionamentos sobre a identificação da empresa responsável pela realização dessas atividades, cronograma ou lista de prioridades para atendimento das demandas, critérios técnicos e gerenciamento das necessidades, locais com pedidos pendentes de execução e existência de estudos prévios para avaliação das árvores plantadas em Araraquara, especialmente para aquelas que são mais antigas.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, por meio do gerente de Conservação, Arborização e Sustentabilidade, Carlos Alberto Ferreira, encaminhou cópia do contrato inicial firmado com a empresa Verdan Eireli em 2022, e seu respectivo termo aditivo de prorrogação, assinado em julho de 2023, que atualizou o valor anual de manutenção da arborização da cidade para R$ 7.587.307,69 e terá sua vigência encerrada em 5 de julho de 2024.

Sobre a ordem de escolha das árvores que serão removidas, Ferreira explica que elas acontecem de acordo com a emissão de laudos técnicos das solicitações encaminhadas à Gerência de Conservação, Arborização e Biodiversidade e em casos de risco de queda ou danos irreversíveis na copa. Em relação às podas, são respeitadas as requisições dos moradores feitas durante o programa Prefeitura nos Bairros ou quando há situações que representem risco à população.

O gerente da pasta prossegue informando que, após as vistorias e emissão do parecer da equipe técnica, ainda são considerados os danos físicos ou biológicos encontrados nas árvores e que as atividades são separadas em ordens de serviço que podem ser consideradas: emergentes (5 dias úteis para execução), urgentes (30 dias corridos para execução) e simples (prazo para execução maior que 30 dias).

Na resposta ainda foi incluída uma planilha em que constam todos os serviços de cortes e retirada de árvores que não foram finalizados até a data de emissão do documento, sendo que alguns deles foram protocolados há mais de dois anos. Entre os locais com maior número de pendências, estão: Centro, Vale do Sol, Vila Harmonia, Vila Xavier e Vila Sedenho, em uma lista com mais de cem bairros e incluindo também o distrito de Bueno de Andrada.

“Quanto às quedas de árvores ocorridas nos meses de outubro e novembro, devido aos temporais anormais que atingiram o município de Araraquara, não eram previsíveis”, destaca Ferreira, explicando que os ventos tiveram velocidade entre 60 a 100 km/h, derrubando muitas árvores sadias, independentemente da idade. Ele afirma também que, durante o ano de 2023, as espécies plantadas em praças, áreas verdes, parques e canteiros centrais foram inspecionadas em ao menos três ocasiões diferentes.

“É preocupante a quantidade de serviços pendentes e elas demandam ações imediatas e eficazes. É importantíssimo que exijamos com firmeza transparência e eficiência na gestão municipal e a participação ativa da comunidade se torna vital para assegurar a preservação adequada de nossas áreas verdes”, enfatiza o vereador Rafael de Angeli.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias