quinta-feira, 18, abril, 2024

Simpósio Municipal do Transtorno do Espectro Autista tem início nesta terça (2)

Evento promovido pela Prefeitura de Araraquara e realizado no auditório da Unip terá sequência nesta quarta-feira (3)

Mais lido

Terá início nesta terça-feira (2) o II Simpósio Municipal do Transtorno do Espectro Autista, que visa expandir a compreensão sobre o transtorno e discutir estratégias atuais de intervenção. A abertura do evento está marcada para as 9h no auditório da Unip, que fica na Avenida Alberto Benassi, 200, Parque Laranjeiras. O evento terá sequência nesta quarta-feira (3), no mesmo local, com mais debates e palestras.

Com suas 350 vagas preenchidas em apenas uma semana de divulgação, a ação é realizada pela Prefeitura de Araraquara, por meio do Centro de Referência do Autismo “Aldo Pavão Júnior”, da Escola de Governo e da Assessoria de Políticas para Pessoas com Deficiência, que integra a Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular, em parceria com a Unip.

Programação

Nesta terça, o credenciamento será feito às 8h30, com a mesa de abertura às 9h. Às 10h, será realizado o Fórum de Abertura com o tema “Serviços Municipais voltados à pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA)”. Participarão dessa atividade Maria Alice Rodrigues Palaçon (AAEE), Adriana Aparecida Biasiolo (APAE), Michelle Neves (AMPARA), Fernando Supesche (Assessoria de Políticas para Pessoas com Deficiência), Cássia Maria Canato (gerencia de Educação Especial) e Karina Maia (Centro Municipal de Referência do Autismo).

Às 13h30, será abordado o tema “Navegando no universo do autismo: Impacto emocional do diagnóstico e desafios parentais em diversos contextos”, com Karina Maia. Na sequência, às 15h, o tema que será explorado é “Altas habilidades ou superdotação e transtorno do espectro autista: dupla excepcionalidade”, com a Profª Drª Rosemeire de Araújo Rangni, doutora em Educação Especial e docente do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de São Carlos.

Nesta quarta, as atividades serão abertas com o debate “TEA na adolescência: desenvolvimento psicossocial e vivências clínicas”, marcado para as 9h, comandado por Marina Venturini, psicóloga do Centro Municipal de Referência do Autismo. Às 10h30, será abordado o tema “Educação Inclusiva: TEA e o ambiente escolar”, com Priscila Benitez, professora adjunta da Universidade Federal do ABC (UFABC).

No período da tarde, será abordado o tema “Explorando possibilidades para o TEA por meio da comunicação alternativa” às 13h30, com a Dra. Ketilin Mayra Pedro, docente do Departamento de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial na Universidade Federal de São Carlos. Às 15h será realizada a “Intervenção com pessoas com TEA segundo análise do comportamento aplicada (ABA): aspectos gerais”. A palestra será ministrada por Nathalia de Vasconcelos, que atua com intervenção ABA para pessoas com autismo e outros distúrbios do desenvolvimentos e avaliações diagnósticas dos Transtornos do Espectro Autista e diagnósticos diferenciais.

Ações da Prefeitura

O município de Araraquara conta com o Centro de Referência do Autismo “Aldo Pavão Júnior” desde 2020, quando foi inaugurado pela Prefeitura como um dos primeiros centros de referência do autismo públicos do estado de São Paulo. Sua proposta é assegurar um novo modelo para atendimento integrado e multidisciplinar aos autistas de Araraquara e da microrregião.

A unidade especializada foi um compromisso firmado com entidades ligadas ao tema. É resultado do projeto elaborado pelo grupo de trabalho instituído pelo prefeito Edinho em abril de 2017, reunindo representantes das secretarias municipais de Saúde, Assistência e Desenvolvimento Social, Educação, e Planejamento e Participação Popular, além da sociedade civil organizada.

Além disso, Araraquara também é pioneira na iniciativa de criar, em abril de 2021, a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo, que visa garantir atenção integral, pronto atendimento e prioridade no acolhimento e no acesso aos serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social.

A Prefeitura também realiza com frequência cursos, publicação online de cartilhas e ações de conscientização sobre o tema, com o objetivo de oferecer subsídios às famílias das crianças com TEA no período de isolamento social, buscando instrumentalizar as famílias para que elas consigam implementar uma rotina de atividades terapêuticas dentro de casa.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias