segunda-feira, 27, maio, 2024

Ato em Brasília marca início do projeto de urbanização da área ferroviária de Araraquara

O prefeito Edinho participou do ato de cessão da área que receberá uma das lagoas de retenção previstas no projeto das obras na Via Expressa

Mais lido

O prefeito Edinho participou, nessa quinta-feira (2), no Ministério dos Transportes, em Brasília (DF), do ato de assinatura do termo de compromisso de cessão de área ferroviária à Prefeitura de Araraquara. Trata-se da área do antigo pátio de manobras da Rumo Logística, de aproximadamente 2,5 quilômetros, considerada não operacional atualmente.

Com a transferência da área da União para o Município, a Prefeitura poderá dar início às obras do Parque dos Trilhos, onde será construída uma das quatro lagoas de retenção de enchentes previstas no projeto de recuperação dos canais fechados e abertos da Via Expressa, a Avenida Maria Antônia Camargo de Oliveira, cujo investimento será de R$ 143 milhões, liberados pelo Governo Federal. Ainda estão previstas, em outras fases, a recuperação e a construção de novas pontes, melhorias nos canais do Ribeirão do Ouro, Córrego da Servidão, Córrego Capão do Paiva e no emissário de Esgoto Bruto ao longo do Ribeirão do Ouro, entre outras ações.

O prefeito Edinho explica que, na prática, a transferência da área para a Prefeitura e toda a intervenção de urbanismo que será feito no local, incluindo a construção da lagoa, a instalação de equipamentos de lazer e a execução do paisagismo, vão significar o início da construção de um sonho antigo, que é a implantação de um parque linear no local, o chamado Parque dos Trilhos.

“Desde o ano passado estamos conversando com o governo federal e com o Ministro Renan Filho sobre a necessidade de liberação dessa área, que se tornou não operacional, para iniciarmos o projeto que vai acabar com o problema histórico de enchentes na nossa cidade e também para darmos início à urbanização daquela região. Trabalhamos para isso há muitos anos. Essa urbanização é um sonho que começou no primeiro mandato do Presidente Lula, quando nós conseguimos recursos – na época R$ 140 milhões – para o novo contorno ferroviário, que tirou as composições do centro da cidade. Desde então, nós continuamos trabalhando. Hoje conseguimos avançar para resolver o problema histórico das enchentes e também caminhar em direção à unificação da grande Vila Xavier com a região central de Araraquara”, declarou o prefeito.

Edinho enfatizou que a obra de recuperação dos canais da Via Expressa, que inclui a construção de quatro lagoas e melhorias em várias bacias hidrográficas, será a maior obra estruturante da história de Araraquara e impactará diretamente na qualidade de vida da população. O prefeito relembrou os sérios problemas causados por enchentes no fim de 2022 e a visita do presidente Lula à cidade, em janeiro do ano seguinte, para vistorias dos pontos atingidos, em solidariedade. “No dia 8 de janeiro de 2023, quando a democracia foi afrontada em Brasília, o presidente estava em Araraquara”, completou.

“Nossa cidade vive um momento excepcional, de anúncio de investimentos, de liberação de recursos e hoje, especialmente, um momento de realização de um sonho, porque a área ferroviária do pátio de manobras será da Prefeitura de Araraquara. A obra de recuperação da Via Expressa vai começar neste ano. É o primeiro passo para que, no futuro, Araraquara finalmente seja uma cidade só, com a grande Vila Xavier e o Centro unificados. Este momento é resultado da boa política, do diálogo, das portas abertas. Da política que coloca os interesses da população sempre em primeiro plano”, concluiu o prefeito Edinho, de Brasília.

Mesmo após a cessão dessa área do antigo pátio, a Rumo Logística continua utilizando a área da Rotunda e das oficinas, com previsão de transferência destas operações para a região do Pátio Ferroviário de Tutoia até 2027. Posteriormente, quando a empresa deixar de utilizar o restante da área, o município poderá pleitear a sua doação total para implantação de projetos urbanísticos de interesse público em toda aquela extensão.

O Ministro Renan Filho não esteve no ato, porque viajou com o Presidente Lula para o Rio Grande do Sul, onde vistoriam os estragos causados pelas chuvas fortes recentes que castigam o Estado.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias