sexta-feira, 23, fevereiro, 2024

Boxe brasileiro: quatro ouros, 12 pódios e melhor campanha da história no Pan

Equipe nacional também terminou na primeira colocação no quadro de medalhas da modalidade. Bia Ferreira, Carol Naka, Jucielen Romeu e Barbara Almeida foram campeãs. Brasileiros faturaram ainda cinco pratas e três bronzes

Mais lido

Uma campanha realmente histórica do boxe brasileiro, com todos os recordes quebrados. Santiago 2023 agora é a edição com o maior número de ouros conquistados pela modalidade, com quatro, e a que os pugilistas brasileiros mais subiram ao pódio, com 12.
 

As maiores responsáveis pelo desempenho incrível foram as mulheres: Carol “Naka” Almeida (50kg), Jucielen Romeu (57kg), Bia Ferreira (60kg) e Barbara Almeida (66kg) venceram suas lutas nesta sexta-feira, 27, no Centro de Treinamento Olímpico, no bairro de Ñuñoa, e conquistaram o ouro.
 

BOLSA ATLETA – Dos 13 atletas convocados para representar o Brasil no Pan de Santiago, 12 são atualmente integrantes do Bolsa Atleta, programa de patrocínio individual a esportistas de alto desempenho do Governo Federal. Dez deles integram a categoria Pódio, a principal do programa, um faz parte da categoria Internacional e um da Nacional. O repasse anual total do atual edital para os 12 contemplados supera os R$ 1,34 milhão. Dos nove finalistas, oito são bolsistas.
 

“Estou muito satisfeito com a equipe feminina, foi um desempenho monstruoso. O Brasil evoluiu muito com investimento em treinamento, participação em competições fora do Brasil, salário em dia. Hoje, Brasil e Colômbia são as potências do boxe feminino do continente”, disse Mateus Alves.

As pratas ficaram Tatiana Chagas (54kg), Michael Douglas Trindade (51kg), Wanderley Pereira (80kg), Keno Marley Machado (92kg) e Abner Teixeira (+92kg). Já tinham garantido o bronze na quinta-feira: Viviane Pereira (75kg), Luiz Oliveira “Bolinha” (57kg) e Yuri Falcão (63.5kg).
 

LÍDER NO QUADRO – O Brasil saiu de Santiago também com a liderança do quadro de medalhas da modalidade com muita folga. Os quatro ouros, cinco pratas e três bronzes da delegação deixaram o país muito acima do segundo colocado, os Estados Unidos, que somaram seis pódios (dois ouros, duas pratas e dois bronzes). A terceira posição no ranking do boxe ficou com Cuba, que somou dois ouros, uma prata e um bronze, com quatro medalhas.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias