quarta-feira, 17, julho, 2024

Cães e gatos de Araraquara buscam lares: uma chamada à solidariedade

Aproximadamente 420 animais foram adotados nas ações realizadas pela Prefeitura em 2023, porém outros 600 bichinhos ainda aguardam a oportunidade de dar e receber carinho em uma nova família

Mais lido

Em um esforço contínuo para combater o aumento no número de cães e gatos abandonados, a Prefeitura de Araraquara tem promovido ações intensivas de estímulo à adoção, seja com as já tradicionais Campanhas de Adoção de Animais no Parque Infantil como nas campanhas de conscientização nas redes sociais. No ano passado, essas ações resultaram na marca de aproximadamente 420 animais adotados, um número significativo, porém ainda longe do ideal.

Essa é a avaliação da coordenadora de Bem-Estar Animal da Prefeitura, Carol Mattos Galvão, que agradece às pessoas que adotaram, mas destaca que o município ainda enfrenta desafios significativos em torno desse tema. “Eu considero positivo esse número de adoções, mas infelizmente o número de animais recolhidos é muito superior ao dos animais adotados”, resume.

No momento, cerca de 600 animais estão disponíveis para adoção, aguardando uma chance de ter um espaço onde possam receber e também doar amor e carinho. Muitos animais abandonados, vítimas de negligência ou maus-tratos, são resgatados diariamente, aumentando a pressão sobre os abrigos e recursos municipais destinados a esses cuidados.

Por isso, a Prefeitura tem buscado conscientizar a população sobre a importância de proporcionar lares amorosos para os cães e gatos resgatados, incentivando os moradores a verem os animais como membros valiosos da sociedade que merecem cuidado e respeito. 
Embora os esforços tenham sido acentuados, a realidade persistente de animais desamparados exige uma participação mais ativa e engajada da população. “Os abrigos municipais são locais de passagem e não um lar para esses bichinhos. Ficar confinado promove estresse, faz com que os animais adoeçam e isso é muito triste. Eles foram vítimas da maldade humana e são eles quem ficam confinados. Não é justo”, avalia.

Carol aponta ainda a necessidade urgente de conscientização por parte de muitas pessoas que assumem o compromisso de ter um bichinho em sua casa. “Muitas pessoas adotam os animais e quando surge um revés na vida, elas acham que esse animal tem que ser acolhido pelo município. Não será acolhido, a responsabilidade é do tutor. O animal é como se fosse uma criança, a gente não pode descartar, são seres sencientes, não são objetos. Recebemos ligações dessa natureza todos os dias. São pessoas que dizem que não querem ficar com o cachorro porque se separaram, porque vão mudar de cidade, porque vão mudar para apartamento, então são várias desculpas”, lamenta.

Outro ponto citado por ela é o receio de quem se recusa a adotar animais adultos. “As pessoas precisam parar com esse preconceito. Animal adulto é maravilhoso, ele já vem com o perfil definido, com o porte definido, temperamento definido. E a maioria dos animais que estão para adoção são machos adultos pretos e caramelos, que são os que vão ficando e que ninguém quer”, acrescentou.

Campanha de adoção neste sábado

Este sábado (3) será dia de Campanha de Adoção de Animais no Centro de Adoção Permanente Cão Gabriel, localizado no Parque Infantil. A campanha, que acontecerá das 9h30 às 13h, conta com cães e gatos, adultos e filhotes. O Centro de Adoção Permanente “Cão Gabriel” está localizado no Parque Infantil, que fica na Av. São Geraldo, s/nº, entre as Ruas 3 e 4, no Centro da cidade.

Ação permanente

É importante frisar que a adoção não é feita somente nessas campanhas. Os interessados em adotar um bichinho de estimação podem se dirigir diretamente aos abrigos onde ficam os cães e gatos disponíveis para adoção na cidade.

A Coordenadoria de Bem-estar Animal tem sua sede no Parque do Pinheirinho e atende de segunda a sexta-feira, das 7h às 14h, enquanto o Canil Siciliano fica na Av. Antônio Orlando, 541, Jardim Brasília, e tem seu atendimento realizado de  segunda a sexta, das 8h às 11h e das 13h às 16h30. Quem preferir agendar a visita pode entrar em contato pelo WhatsApp do canil, que é o 98877-7604.

Como adotar

Para adotar um animalzinho, o interessado deve ser maior de 18 anos e levar documentos pessoais, assim como comprovante de endereço. No caso da adoção de gatos é necessário levar caixa de transporte, enquanto para cachorros é essencial portar coleira e guia.

Os animais são todos saudáveis, castrados e vacinados. Os interessados devem ter alguns cuidados e a consciência de que o animal vive em média 15 anos e, sendo assim, em algum momento da vida necessitará de cuidados médicos veterinários. Entre os cuidados destacam-se: ter abrigo, alimentação adequada e manutenção da vacina anual para proteção de doenças infectocontagiosas que os animais possam vir a ter.

Assim, a Prefeitura de Araraquara conta com a colaboração ativa da população. A adoção responsável não apenas melhora a qualidade de vida dos animais, mas também contribui para a construção de uma comunidade mais solidária e consciente em relação aos seus companheiros de quatro patas.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias