quinta-feira, 18, abril, 2024

Delegação brasileira com alunos da Uniara participa, em Nova Iorque, de simulação de atividades da ONU

Integrantes estarão no NMUN, que será realizado entre os dias 24 e 28

Mais lido

Uma delegação brasileira, que conta com alunos da Universidade de Araraquara – Uniara, participará da maior simulação das atividades da Organização das Nações Unidas – ONU, o National Model United Nations – NMUN, que será realizado entre os dias 24 e 28 de março, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. No Brasil, a oportunidade de participar do evento é oferecida por meio de uma parceria entre a Uniara e a Associação Diplomatici Brasil.

“No NMUN, os participantes atuam como embaixadores de países diferentes dos de suas nacionalidades, conforme um sorteio realizado pela ONU, para que possam mudar algumas situações em um país em conflito, por exemplo, com novas ideias. É um grande desafio estudar para oferecer soluções de problemas diversos que essas nações apresentam”, explica um dos integrantes da delegação brasileira, o coordenador de extensão do curso de Direito da Uniara, Fernando Rugno, que também é representante do NMUN no Brasil e presidente da Associação Diplomatici.

Após o sorteio do país a ser representado – este ano, será a Itália -, “são realizadas pesquisas e a elaboração de projetos para que possamos levá-los até a assembleia da ONU para apresentarmos às delegações dos países participantes”. “Ao serem aprovados, esses projetos são encaminhados ao país representado pela delegação, e isso, se esse país concordar e aceitar, torna-se lei com o nome do aluno”, detalha.

Também integrante da delegação brasileira, a estudante do curso de Direito da Uniara, Eduarda Giacomini, conta que vai participar do NMUN “por interesse na área internacional – o Direito participa bastante disso -, e a ONU é um lugar que me interessa bastante”. “Vamos defender a Itália, e meu comitê é da Assembleia do Meio Ambiente. Temos conversado e nos preparado para a resolução que cada um escolheu. Este ano, o tema é o problema sustentabilidade da indústria têxtil e a implementação do Protocolo de Montreal, que é um programa da ONU. Vamos propor implementar melhor isso”, resume a aluna.

Também graduando de Direito e componente da delegação, Manoel Galhardo, revela que se interessou pelo NMUN por conta de sua irmã, Marcela Galhardo. “O que me atraiu foram as histórias que ela contou quando participou e, além disso, me interessou o fato de conhecer outras pessoas de vários países. Nessa viagem, serão discutidos temas importantes”, comenta.

Ele está na Comissão de Entorpecentes. “Foram dois temas sobre os quais tivemos que discorrer, sendo o primeiro o fornecimento de remédios regulados para situações de emergência. Minha colega Flávia Daló sugeriu como solução implementar um tipo de Sistema Único de Saúde – SUS na União Europeia, pois assim seria possível fornecer esses medicamentos sem altos custos para a população mais carente”, explica.

O segundo tema foi escrito por Galhardo. “É sobre medidas para se proteger crianças e adolescentes do abuso de drogas. A solução que dei já foi objeto de pesquisa de várias instituições, e teve bastantes resultados positivos de se implementar atividades complementares para crianças e adolescentes na escola, para que fiquem mais tempo lá e para que os tirem do contexto de crime quando estão na sociedade. Assim, é possível fornecer ainda bolsa de estudos, um dinheiro para a família, para ajudá-la na situação de pobreza”, diz o estudante.

Por sua vez, sua parceira de comitê Daló, que também é aluna de Direito, acredita que participar do NMUN “será uma experiência completamente diferente e muito especial”. “Espero aproveitar ao máximo a oportunidade de poder vivenciar um pouquinho do que é a ONU e do papel fundamental que ela desempenha no cenário mundial”, aponta.

Outra integrante da delegação brasileira, a aluna do curso de Publicidade e Propaganda da Uniara, Marina Ferreira Sallun Cardozo, tem expectativas “bem altas”. “Não só por estar participando de uma dinâmica tão legal, onde vou poder conhecer pessoas de vários lugares do mundo, mas também por estar fazendo uma das viagens que eu mais sonhava em fazer”, completa.

Rugno coloca que, neste ano, apesar de ser uma turma menor em comparação aos outros anos, “tem muito interesse nos temas e está desenvolvendo ideias que me deixaram surpreso e feliz, pelo contexto dos projetos que oferecem em relação ao meio ambiente, a entorpecente e a refugiados”. “As propostas que irão apresentar na Assembleia Geral da ONU e nos comitês dos quais participam são muito promissoras. São ideias que tenho certeza que serão premiadas pelo contexto e pela pesquisa que fizeram”, declara o coordenador.

A delegação também terá compromisso complementar ao NMUN, de acordo com ele. “Teremos a visita à missão permanente do Brasil junto à ONU, com encontro com o embaixador atual, que irá nos receber e dar uma palestra para eles”, revela.

A participação no NMUN acontece desde 2011. “São catorze anos de projeto, e esse grupo é bem interessado. Mais uma vez, vamos levar o nome da Uniara à ONU, destacando a universidade na esfera internacional, principalmente em uma organização que é respeitada mundialmente”, destaca Rugno.

O chefe do Departamento de Ciências Jurídicas da Uniara, Fernando Passos, parabeniza a iniciativa. “Recomendo que os interessados sempre participem, pois, além de colocarem em prática muitos conhecimentos e saberem melhor como funcionam as atividades da ONU, a atividade é importante para se exercer o movimento de liderança”, ressalta o docente.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias