segunda-feira, 20, maio, 2024

Escolas da Prefeitura terão brigadas de combate ao mosquito Aedes aegypti

Medida proposta pela Secretaria da Educação, com apoio da Secretaria de Saúde, visa capacitar pessoas das próprias unidades escolares para realizar um trabalho semanal de vistoria e eliminação de focos

Mais lido

Tendo em vista a importância e a necessidade de desenvolver estratégias de intervenção para o enfrentamento das arboviroses no Município de Araraquara e de reunir esforços para combater possíveis focos do Aedes aegypti nas escolas municipais, a Secretaria Municipal da Educação, em ação conjunta com a Secretaria Municipal da Saúde, criou as brigadas de combate às larvas do mosquito transmissor da dengue, zika, chikungunya e outras arboviroses.

A iniciativa partiu da Secretaria Municipal da Educação e a medida cumpre a Resolução nº 02/2024, de 26 de fevereiro de 2014, que determina que todas as escolas municipais tenham uma brigada com essa função. A organização das brigadas ficará por conta de cada unidade escolar, a partir de orientações da Secretaria da Educação, por meio da Coordenadoria Executiva de Atenção a Doenças Endêmicas no Ambiente Escolar e suas Gerências.

Os brigadistas, cuja missão é manter as populações do mosquito em níveis locais toleráveis, identificarão através da vigilância frequente de recipientes ou estruturas na edificação, os possíveis locais com risco de proliferação. “Alunos, funcionários, pais e comunidade escolar em geral, promovem a implantação de brigadas para o combate ao mosquito nos ambientes de trabalho, envolvendo os servidores em processos contínuos de prevenção às arboviroses, aprimorando a capacidade de percepção dos participantes quanto aos fatores ambientais favoráveis à proliferação do inseto. O combate a esse mosquito é a principal arma de controle dessas doenças e essa responsabilidade não é apenas do Poder Público e sim da sociedade e de cada cidadão e cidadã. A falta de ação das pessoas no combate ao mosquito é o que faz ele e as doenças continuarem prevalecendo”, explicou a gerente de Ações de Proteção Contra Doenças Endêmicas no Ambiente Escolar na Educação Infantil, Silvia Theodoro.

A equipe de IEC (Instruindo, Educando e Comunicando) do Controle de Vetores da Vigilância Epidemiológica, órgão que integra a Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Araraquara, fica responsável por coordenar a implantação das brigadas de combate às larvas do Aedes aegypti nos Centros de Educação e Recreação (CERs) e Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs) da cidade.

Os brigadistas devem preencher semanalmente um relatório de vistoria de prevenção e combate ao Aedes aegypti fornecido pela Coordenadoria Executiva de Vigilância em Saúde, o que ficará arquivado na unidade para posteriores consultas. Havendo suspeita de focos, a direção da unidade escolar deverá encaminhar imediatamente cópia do relatório de vistoria para a coordenadoria e gerências responsáveis.

Alessandra Cristina do Nascimento, gerente de Controle de Vetores, destaca o propósito da ação. “O intuito é a capacitação das pessoas indicadas para fazer semanalmente a vistoria de prevenção e combate ao Aedes aegypti com olhar mais atento e aplicando medidas de controles necessárias para eliminar criadouros. Além da parte teórica, os brigadistas nos acompanham em uma vistoria  pelo local, onde mostramos vários pontos de atenção. Até o fim do mês, serão 48 CERs e depois começaremos os agendamentos das Emefs para o mês de maio e junho. Além das unidades escolares, também implantamos brigadas em empresas e, para solicitar, basta os proprietários entrarem em contato conosco”, comentou.

Combate à dengue em casa

O Aedes aegypti coloca os ovos na parede dos recipientes, bem próximo à linha d’água. Quando entra em contato com a água, o ovo eclode, vira larva, depois pupa e por último o mosquito alado (adulto). “É muito importante que as pessoas saibam identificar qual local ou recipiente é um possível criadouro e as medidas que devem ser aplicadas caso encontrem o mosquito em uma dessas fases”, completou Alessandra.

Vale reforçar que o trabalho de combate aos criadouros do mosquito Aedes aegypti, realizado pelas equipes de Controle de Vetores da Vigilância Epidemiológica, é ininterrupto, independentemente da época do ano ou da situação da doença, e depende da participação da população. Além de cuidar da própria casa, o munícipe também pode identificar imóveis e outros locais problemáticos e avisar para o Controle de Vetores e a Ouvidoria da Vigilância em Saúde, por meio dos telefones (16) 3303-3115, (16) 3303-3104 e 0800-774-0440.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias