domingo, 25, fevereiro, 2024

Estratégia ‘Araraquara Sem Fome’ é citada como exemplo pelo Comitê de Segurança Alimentar da ONU

Relatório preliminar elaborado pelo Painel de Alto Nível de Peritos em Segurança Alimentar e Nutricional destaca as políticas de combate à fome desenvolvidas pela Prefeitura

Mais lido

As políticas de combate à fome desenvolvidas pela Prefeitura de Araraquara mais uma vez ganham destaque internacional e foram citadas como exemplo no relatório preliminar elaborado pelo Painel de Alto Nível de Peritos em Segurança Alimentar e Nutricional, denominado “Fortalecimento dos sistemas alimentares urbanos para alcançar a segurança alimentar e nutricional no contexto da urbanização e da transformação rural”.

O objetivo geral do relatório é explorar as questões relacionadas com a urbanização, a transformação rural e as suas implicações para a segurança alimentar e nutricional (SAN). O relatório também foi incumbido de desenvolver recomendações políticas orientadas para a ação sobre os sistemas alimentares urbanos e periurbanos.

O ‘Araraquara Sem Fome’ é uma estratégia governamental implantada a partir de 2021, que inclui, de forma intersetorial e integrada, programas de segurança alimentar, assistência social, transferência de renda, reinserção e emancipação social, geração de trabalho e renda, economia criativa e solidária, hortas urbanas comunitárias e de fortalecimento da agricultura familiar local. Este conjunto de políticas públicas foi recentemente premiado no 8º Fórum Internacional do Pacto de Milão, com menção honrosa na categoria governança.

Dentro do ‘Araraquara Sem Fome’, um dos destaques é o Banco Municipal de Alimentos, pertencente à Coordenadoria de Segurança Alimentar, vinculada à Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social. Este importante equipamento público é o principal polo de arrecadação e distribuição de alimentos, incluindo a distribuição regular de cestas básicas, e de 500 cestas de hortifrutis por semana, que são adquiridos diretamente da agricultura familiar local. 

Atualmente são beneficiadas mais de 8.500 pessoas em situação de vulnerabilidade social, incluindo os beneficiários de 68 entidades socioassistenciais e dos 10 Centro de Referência em Assistência Social-CRAS. Recentemente foram intensificadas as atividades de reaproveitamento de alimentos que são destinados às entidades socioassistenciais, visando assim reduzir ainda mais o desperdício de alimentos e melhorando o atendimento com o fornecimento de molhos, caldos, doces e polpas de frutas, cuja produção já supera 1 tonelada por mês.

Para Jacqueline Pereira Barbosa, secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, a menção da ONU reforça a importância de um trabalho que vem sendo implementado intersetorialmente, com todas as políticas públicas articuladas.

“Muitos nos honra essa menção da ONU de reconhecimento à estratégia Araraquara Sem Fome e nos honra também saber que nossas políticas públicas impactam de forma concreta na vida das pessoas que vivem em Araraquara, porque são pensadas de modo intersetorial. Porque não tem como pensar segurança alimentar sem pensar em agricultura familiar, sem pensar na produção desse alimento, sem pensar na família atendida pela Assistência Social como um público prioritário, na questão da saúde do indivíduo decorrente de um alimento livre de agrotóxico. 

Enfim, é toda uma cadeia assertiva, que acaba impactando positivamente na vida das pessoas”, declarou a secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social.

A coordenadora municipal de Segurança Alimentar, Silvani Silva, destaca a importância do estudo que apontou como exemplo as iniciativas que vem sendo adotadas pelo município de Araraquara, com foco no combate à fome e pela promoção de segurança alimentar e nutricional.

“Trata-se de um estudo contratado pela ONU, no qual estão levantando experiências de sistemas alimentares desenvolvidos pelas cidades ao redor do mundo. No levantamento, a cidade de Araraquara foi mencionada como uma experiência de sucesso”, explicou ela, apontando ainda pesquisas recentes que revelam ser superior a 50% a população mundial que já vive em áreas urbanas e que essa proporção deverá aumentar para mais de 70% até 2050, o que, em conjunto com as mudanças climáticas, representam um grande desafio para garantir o direito à alimentação da população.

Em outubro do ano passado, Araraquara também recebeu uma menção honrosa do Prêmio Josué de Castro pela segunda colocação na categoria destinada ao melhor programa ou projeto de política pública com o trabalho “Padaria Solidária – Inovação no combate à fome e ao desperdício de alimentos”. O prêmio Josué de Castro” é concedida pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Consea/SP), com o propósito de valorizar iniciativas voltadas à formulação de soluções concretas para o combate à fome e a promoção de segurança alimentar e nutricional. 

Consulta Pública

O relatório final elaborado pelo Painel de Alto Nível de Peritos em Segurança Alimentar e Nutricional será apresentado na 52º sessão plenária do Comitê de Segurança Alimentar da ONU, que será realizada em outubro deste ano. Para tanto está aberta uma consulta pública para o envio de contribuições e sugestões e para participar basta acessar o link: https://www.csm4cfs.org/urban-and-peri-urban-food-systems/, até o dia 18 de janeiro.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias