segunda-feira, 27, maio, 2024

Padre Giuseppe Leonard visita MAPA neste sábado acompanhado por paleontólogos estrangeiros (13)

Paleontólogo, especialista em dinossauros, Giuseppe Leonard figura entre as principais autoridades no mundo em pegadas fósseis

Mais lido

O paleontólogo e padre Giuseppe Leonard estará em Araraquara no próximo sábado (13), pela manhã, às 8 horas, em visita ao MAPA – Museu de Arqueologia e Paleontologia de Araraquara. O museu estará especialmente aberto para visitação de Giuseppe e um grupo de paleontólogos estrangeiros.

Giuseppe Leonard, especialista em dinossauros, figura entre as principais autoridades no mundo em pegadas fósseis de tetrápodes e em comportamento e sociologia de dinossauros, pterossauros (pterodactilos) e cervos fósseis.

Na década de 1970, Giuseppe, italiano naturalizado brasileiro, constatou que as lajes de arenito exploradas comercialmente e utilizadas na pavimentação de Araraquara continham inúmeros registros de pegadas de dinossauros e mamíferos, além de rastros de invertebrados. Esses registros são chamados de icnofósseis, um tipo específico de fóssil.

Não é a primeira vez que o paleontólogo e padre Giuseppe Leonard, precursor dos estudos paleontológicos do acervo de Araraquara, visita o MAPA. Ele já esteve na cidade em outras situações, inclusive em 2013, Giuseppe Leonardi recebeu o título de cidadão araraquarense pelo importante trabalho paleontológico e por ter projetado Araraquara no cenário científico nacional e internacional.

De acordo com Gustavo Ferreira, gerente dos Museus, a visita vem sendo organizada por Heitor Francischini, professor de paleontologia da UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e antigo colaborador do MAPA. “Ele estará trazendo um pessoal do exterior (Argentina, EUA, Japão, Itália e Espanha) para um tour pelo patrimônio fossilífero da cidade, e quer levá-los ao MAPA e, em seguida, às calçadas da cidade. E dentre os participantes, estará o Giuseppe Leonardi, padre e paleontólogo que dá nome à sala de exposição de paleontologia do MAPA, e quem descobriu as primeiras pegadas de dinossauros por aqui, nos anos 70. A ideia é eles começarem no MAPA uma caminhada até o Parque Infantil.”

Vale destacar que o MAPA possui a exposição permanente “Areias do passado, marcas no presente”, inaugurada em 2016, com os saberes produzidos a partir dos estudos de Giuseppe Leonardi, na década de 1970. A exposição – com curadoria da Fundação Araporã e também de Marcelo Adorna, paleontólogo que deu sequência aos estudos de Giuseppe – está organizada em três módulos: introdução à Paleontologia; uma viagem no tempo e no espaço; e o patrimônio paleontológico de Araraquara.

Dentre os recursos expográficos, destacam-se o cenário que reconstitui hipotéticamente os esqueletos dos possíveis vertebrados produtores das pegadas e pistas em seu paleoambiente e um mapa com a distribuição dos icnofósseis por toda a cidade. Ela se estende pela rua Voluntários da Pátria (rua 5), onde ilhas de pegadas foram criadas em 2007, na ocasião de revitalização do Boulevard dos Oitis.

Esta conexão entre o interior e o exterior do MAPA vem sendo reforçada nos últimos anos, com a intenção de estender o acervo do museu pelas calçadas de Araraquara, onde é encontrada a maior parte do patrimônio paleontológico da cidade.

Por tudo isso, Araraquara é grata à história que foi escrita na cidade a partir das observações e estudos de Giuseppe Leonard. A programação é uma realização da Secretaria Municipal da Cultura, por meio da Coordenadoria de Acervos e Patrimônio Histórico.

História – De acordo com a história da paleontologia na região, em 1976, com uma intensa dor de dente, Giuseppe Leonardi parou em Araraquara e, ao passear pela cidade, descobriu centenas de pegadas de dinossauros e se entusiasmou com a abundante fauna fóssil. Assim, o padre voltou para Araraquara muitas vezes e passou a estudar o caso.

O paleontólogo realizou o levantamento do calçamento de Araraquara e, neste processo, retirou pedras para as coleções do Departamento Nacional da Produção Mineral. Por meio de sua pesquisa, descobriu-se que Araraquara possui o maior afloramento urbano do mundo, o que significa a maior exposição de uma rocha na superfície da Terra.

Vale destacar que as calçadas da área central de Araraquara possuem evidências da existência de mamíferos e de outros dinossauros maiores do período jurássico e cretáceo no Brasil, há cerca de 140 milhões de anos. As pegadas podem ser encontradas em placas de arenito usadas nas calçadas da cidade, especialmente no Museu a Céu Aberto, na Rua Voluntários da Pátria (Rua 5).

Quem é o Padre Giuseppe Leonardi?

(Nascido em Veneza em 1939, naturalizado brasileiro em 1979)

Paleontólogo, especialista em dinossauros, figura entre as principais autoridades no mundo em pegadas fósseis de tetrápodes e em comportamento e sociologia de dinossauros, pterossauros (pterodactilos) e cervos fósseis. Produziu cerca de 160 publicações científicas com ênfase na área da Icnologia dos Vertebrados. Realizou cerca de 90 expedições na América do Sul, da Patagônia à Amazônia, entre elas 32 na bacia do Rio do Peixe (PB), na qual passou mais de um ano no campo, outro tanto em Araraquara (SP) e arredores, além de várias expedições na Austrália, África, Europa, América do Norte e Central e Oriente Médio. Contribuiu para a padronização da metodologia e da terminologia internacionais do campo da Icnologia dos Vertebrados com a publicação de um Glossário e Manual em oito línguas (Brasil – DNPM; 1987).

Foto: Divulgação

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias