quinta-feira, 22, fevereiro, 2024

Parada do Orgulho LGBTQIA+ acontece neste domingo (29)

Com Grag Queen, Irmãs de Pau e DJs, atividade encerra a Semana da Cidadania LGBTQIA+ em Araraquara

Mais lido

Neste domingo (29), será realizada a 14ª edição da Parada do Orgulho LGBTQIA+, que encerrará a Semana da Cidadania LGBTQIA+ em Araraquara. Com foco na luta pelo fortalecimento das políticas públicas que englobam a comunidade LGBTQIA+, a parada deste ano traz o tema “Família não é privilégio, é direito”.

A concentração da parada será no Parque Infantil, no Centro, a partir das 12h. A atração principal ficará por conta da multiartista Grag Queen, mais conhecida por vencer a primeira temporada do “Queen of the Universe”, reality show da Paramount+, onde desbancou candidatas de países como Inglaterra, Índia, Austrália, França e Estados Unidos. Também é apresentadora do “Drag Race Brasil”, programa transmitido da MTV que é uma versão nacional do americano “RuPaul´s Drag Race”, o reality de drags mais famoso do planeta.

Grag também brilha nas redes sociais, onde acumula mais de 13 milhões de visualizações em seu Youtube, além de 2,2 milhões de seguidores no TikTok, 500 mil seguidores no Instagram e mais de 400 mil ouvintes mensais em seu Spotify.

O público também vai se divertir ao som das Irmãs de Pau, dupla formada pelas multiartistas travestis Vita Pereira, que reside em Araraquara, e Isma Almeida, de São Paulo. As funkeiras nasceram na capital paulista e se conheceram durante o ensino médio, mas foi durante um movimento de ocupação estudantil que fortaleceram a amizade. Neste ano, participaram da música “Derretida”, do álbum “After”, de Pablo Vittar.

A Parada do Orgulho LGBTQIA+ também contará com a participação do DJ Beats, Raissa Assunção, DJ Renan Alves, DJ Ulisses Philippelli e DJ Sol Negro. Às 16h30, haverá um ato político, também no Parque Infantil.

Para Renata Fattah, coordenadora de Direitos Humanos, a Parada do Orgulho LGBTQIA+ é um importante ato de reivindicação de direitos dessa população. “Através da celebração da diversidade, o evento marca a importância da manifestação coletiva contra todo tipo de preconceito, onde os corpos e a troca de afetos representam a difusão da ideia de diferença como valor, garantindo a visibilidade dessa população constantemente marginalizada. Com o tema “Família não é privilégio, é direito”, a Parada procura afirmar os direitos constitucionais da população LGBTQIA+ e garantir que todas as cores sejam respeitadas”, salientou.

Lígia Buzolla, assessora de Políticas LGBTQIA+ da Prefeitura, destacou a importância do evento. “A parada LGBTQIA+ desempenha um papel importante como uma manifestação coletiva contra o preconceito e a marginalização da população LGBTQIA+. É um espaço onde a diversidade é afirmada, e celebrada, com todas as suas cores, e também um espaço combativo, de reivindicações de direitos e luta contra a invisibilidade diária que a comunidade está sujeita”, pontuou.

A Semana da Cidadania LGBTQIA+ de Araraquara conta com uma programação diversificada e abrangente, com o propósito de oferecer uma mistura de celebração, educação e reflexão, destacando a importância da igualdade de direitos e da diversidade em nossa sociedade. A programação teve início na sexta-feira (20), no Plenário da Câmara Municipal de Araraquara, com o Simpósio “Saúde integral da população LGBTQIA+”. No sábado (21), o Centro de Referência e Resistência LGBTQIA+ recebeu a Pré-Conferência de Cultura LGBTQIA+, que teve o propósito de fomentar o diálogo entre sociedade civil e o poder público sobre as políticas públicas que englobem a comunidade LGBTQIA+ com foco no segmento cultural. Nesta semana, foram realizados fóruns no Centro de Referência e Resistência LGBTQIA+ (Avenida Espanha, 536, Centro), sempre às 19h. Na segunda-feira (23), o local recebeu o Fórum Negritude LGBTQIA+. Na quarta (25), foi realizado o Fórum Juventude e Velhices LGBTQIA+ e na quinta (26) foi a vez do Fórum LGBTQIA+ e Religião. Nesta sexta (27), às 19h, será realizado o Fórum Mulheres LBT (lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais).

A programação é desenvolvida pela Prefeitura de Araraquara por meio da Secretaria de Cultura e Fundart, Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular, Assessoria Especial de Políticas LGBTQIA+, Centro de Referência e Resistência LGBTQIA+ e IST/AIDS e Hepatites Virais, em parceria com a Câmara Municipal de Araraquara, por meio do mandato da vereadora Filipa Brunelli, e + Plural Coletivo LGBTQIA+ Interseccional de Araraquara.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias