segunda-feira, 20, maio, 2024

Programa “Consultório na Rua” é lançado pela Prefeitura

Iniciativa integra uma equipe multiprofissional que desenvolve ações integrais de saúde frente às necessidades da população em situação de rua

Mais lido

Em solenidade realizada nesta sexta-feira (26) na Praça do Carmo, a Prefeitura de Araraquara lançou o programa “Consultório na Rua”, estratégia instituída pela Política Nacional de Atenção Básica que visa ampliar o acesso da população em situação de rua aos serviços de saúde, ofertando, de maneira mais oportuna, atenção integral à saúde para esse grupo populacional, que se encontra em condições de vulnerabilidade e com os vínculos familiares interrompidos ou fragilizados.

Edinho falou sobre a importância de oferecer um atendimento digno à população em situação de rua. “Quando eu cheguei na Prefeitura, nós chegamos a ter 180 pessoas morando nas ruas. Hoje temos 80 pessoas acolhidas nas nossas entidades parceiras. Nós já tivemos 40 moradoras e moradores em situação de rua que a Prefeitura pagou Aluguel Social, portanto fez a transição da rua para a reconstrução familiar. Estamos mostrando que é possível, mas ainda temos por volta de 100 pessoas morando nas ruas, portanto temos 100 seres humanos que precisam ser acolhidos. Que o diagnóstico exista, que eles e elas tenham consciência da doença que eles têm, que é a dependência química, e que, reconhecendo a doença, aceitem o tratamento. Esse é o nosso desafio”, comentou.
A implantação do programa contou com recursos da emenda parlamentar da deputada estadual Marcia Lia (PT), intermediada pela vereadora Filipa Brunelli (PT), no valor de R$ 150 mil.

Filipa Brunelli, que representou a Câmara Municipal na solenidade, destacou que existe a necessidade de uma mudança de conceitos por parte da sociedade. “Precisamos inverter essa ótica e deixar de criminalizar as pessoas em situação de rua. Se existem pessoas em situação de rua, significa que a sociedade fracassou. Se existem pessoas em situação de rua, significa que é a ausência do estado brasileiro, significa que é a perpetuação da necropolítica, significa que há um projeto político instituído no país para que de fato existam pessoas a serem eliminadas. E aqui em Araraquara estamos invertendo a ótica”, pontuou a vereadora.

A deputada estadual Márcia Lia também enalteceu a iniciativa. “Esse momento é muito importante, de fato. É uma luta antiga de todos nós conseguirmos um equipamento para atender as pessoas em situação de rua. Eu sei do compromisso deste governo com as pessoas em situação de rua, que são pessoas que, por algum descuido da vida, acabaram tendo dificuldades. Hoje é um dia de emoção, de muita alegria, e de dizer para essa equipe maravilhosa, que insistiu, que o pleito de vocês está materializado. Carinho eterno pela luta de vocês. Espero que possamos continuar com a cidade dos nossos sonhos, que é uma cidade onde as pessoas são incluídas, onde as pessoas são respeitadas, onde as pessoas são sujeitas de direito e esses direitos são respeitados”, salientou.

A secretária de Saúde, Eliana Honain, exaltou o propósito do programa. “O Consultório de Rua é uma política de atenção básica que faz uma intersetorialidade com os outros níveis de atenção. Vamos precisar muito do setor especializado, vamos precisar muito da saúde mental, mas ele também se propõe a fazer uma unidade básica de saúde para as pessoas em situação de rua. O papel maior de uma unidade básica de saúde é o vínculo. As pessoas têm que se sentir acolhidas, confiantes e reconhecer essa equipe como sua equipe de saúde. Esse é o grande diferencial do Consultório na Rua, que vai criar um vínculo com essa população”, observou.

A secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Jacqueline Barbosa, apontou que a união de esforços faz de Araraquara um modelo a ser seguido no acolhimento às pessoas em situação de rua. “Essa não é uma pauta só da assistência social, é uma pauta de todos e de todas, por isso Araraquara é referência. É por isso que Araraquara tem um dos primeiros comitês intersetoriais de discussão da política pública. É por isso que Araraquara tem a Lei Municipal de Atendimento à Pessoa em Situação de Rua. É por isso que Araraquara está hoje nesta praça para dizer que o direito à cidade é de todos e de todas, independente da situação delas e que nós iremos lutar e buscar que cada um e cada uma tenha sua proteção social garantida”, assegurou.

Também participaram da solenidade o presidente da Câmara Municipal de Araraquara, Paulo Landim (PT); os vereadores Alcindo Sabino (PT), Edson Hel (PV) e Gerson da Farmácia (MDB); a secretária de Esportes e Lazer, Milena Pavanelli; o secretário de Direitos Humanos e Participação Popular, Marcelo Mazeta; a secretária de Comunicação, Priscila Luiz; a secretária de Obras e Serviços Públicos, Renata Bratfisch; o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Carlos Porsani; o secretário de Governo, Donizete Simioni; a secretária de Administração, Juliana Lujan; o chefe de gabinete, Renato Ribeiro; a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Cidinha Silva; o superintendente do Daae, Delorges Mano; a coordenadora de Políticas para Mulheres, Grasiela Lima; Vitória Figueiredo, que representou a deputada estadual Thainara Faria (PT); além de representantes das instituições Associação São Pio, Associação Sacrário de Amor, Associação Bento XVI, Grupo Voluntários Interdependente Vivendo Amor (Viva), Centro Pop, Casa de Acolhida, Comitê Intersetorial do Programa Novos Caminhos e o Pastor Luiz Capano.

O programa

O programa “Consultório na Rua” é uma iniciativa do Sistema Único de Saúde (SUS) vinculada à Secretaria Municipal de Saúde, e envolve equipes multiprofissionais que realizam suas atividades de forma itinerante e, quando necessário, desenvolvem ações em parceria com as equipes das Unidades Básicas de Saúde do território.

O programa visa realizar procedimentos básicos como verificação de pressão, aplicação de vacinas, verificação de glicose, pequenos curativos, oferta de medicamentos, vigilância para doenças como tuberculose e hanseníase, testes rápidos contra Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s), coleta de exames, testagem de Covid-19, além de aconselhamento sobre cuidados com a saúde, distribuição de preservativo e encaminhamento para outros serviços mais complexos, como intervenção para internação voluntária, involuntária e compulsória, encaminhamento para o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), entre outros.

O programa também tem o propósito de oferecer abrigo, orientação e garantir nutrição e higiene, além de isolar aqueles que estejam com suspeita da Covid-19. “Diante deste cenário, a equipe do programa interage totalmente de forma interprofissional colaborativa. Queremos inserir essa população na Rede de uma forma qualificada, produzindo uma relação de vínculo que facilite o cuidado e possibilite ações efetivas para a promoção de saúde. Conseguir fazer com que cuidem deles próprios, do corpo, da mente e da saúde em geral, é o primeiro passo para que consigam sair dessa situação. Por isso, queremos proporcionar essa atenção integral à saúde deles”, explicou a enfermeira Ana Lúcia Pereira, responsável pelo projeto na cidade.

A equipe é composta pela médica Gisselle Gonzales Maza de Oliveira, a enfermeira Ana Lúcia Pereira, a técnica de enfermagem Lucimara Martines Carrenho Trindade e os agentes comunitários de saúde Paulo Henrique Cassatti e Izabel Cristina do Nascimento. Na solenidade desta sexta, a Secretaria Municipal de Saúde entregou à equipe um veículo para a realização desses atendimentos in loco para proporcionar um atendimento de excelência e qualidade a essa população. A atuação acontece com oito horas diárias, de segunda a sexta-feira, com atendimento na rua e demais locais públicos.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias