sexta-feira, 23, fevereiro, 2024

PSICOLOGIA EM CAMPO: A IMPORTÂNCIA DO ACOMPANHAMENTO COM AS JOGADORAS DE FUTEBOL

Na última sexta-feira (26), o Departamento foi a campo para colocar em prática uma dinâmica de ‘Jogo da Velha no gol’

Mais lido

A psicologia do esporte busca estudar e explicar as influências psicológicas nos indivíduos e grupos esportivos e competitivos. No Futebol Feminino da Ferroviária, a tarefa transdisciplinar da comissão técnica, visa a interação disciplinar que possibilita o diálogo visando a cooperação entre os diferentes campos do saber.

Os trabalhos do Departamento de Psicologia começaram no dia 8 de janeiro, na apresentação do elenco. A psicóloga Taís Rios, responsável pela equipe principal das Guerreiras Grenás, falou sobre a importância desse acompanhamento já na pré-temporada. “A psicologia é importante para ajudar na adaptação das atletas que estão chegando, auxiliando na integração do grupo. Tivemos uma grande mudança, boa parte do nosso grupo é novo. O acompanhamento serve também para contribuir com a comissão técnica, em como pode atingir cada jogadora, a melhor forma de abordar, para a gente estar em um clima bom, em um nível de competitividade alto e, principalmente, o cuidado com a saúde mental”, contou.

Com isso, são realizadas atividades extracampo, como atendimentos individuais e dinâmicas em grupo, mas também durante o treino. Por exemplo, na última sexta-feira (26), o Departamento foi a campo para colocar em prática uma dinâmica de ‘Jogo da Velha no gol’. Dividas em dois grupos, as jogadoras precisavam balançar as redes nas marcações, até formar, na horizontal ou vertical, o Jogo da Velha. “Trabalhamos questões relacionadas a concentração, a memorização, ao grupo em si, conexão de grupo. Quando realizamos uma atividade como essa, que conseguimos ter uma atividade da psicologia dentro do campo, durante um treino, a gente integra muito mais o trabalho”, explicou a psicóloga Taís.

Desta forma, a psicologia não fica isolada. “Conseguimos fazer com que não fique sendo uma coisa que as jogadoras pensem em procurar só quando elas estão em um momento ruim, elas já entendem o trabalho como algo que vai ajudá-las o tempo todo. Não é só para quem está mal, é pra quem está bem também, e pra que fique ainda melhor, tanto no trabalho esportivo, quanto em qualquer outra coisa que elas forem fazer.”, concluiu a psicóloga.

DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA
O Departamento de Psicologia, atualmente, conta com três psicólogas: Taís Rios – responsável pela equipe principal –, Camila Rapatoni – que atua nas categorias de base, do Sub-12 ao Sub-20 – e a estagiária Karol Dantas. A separação é feita para que cada profissional consiga ter um cuidado com todas as atletas e também com a comissão, além do trabalho integrado, tanto no planejamento quanto no desenvolvimento.

Texto e foto: Cárila Covas/Ferroviária SAF

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias