sábado, 15, junho, 2024

11° Semana de Música Brasileira e o 1° Encontro de Artes Visuais na Guiné Bissau acontecem de 15 a 25 de junho

Objetivo de aproximar as duas Nações irmãs e comemorar de maneira grandiosa, os 15 anos do projeto

Mais lido

A 11° Semana de Música Brasileira e o 1° Encontro de Artes Visuais na Guiné Bissau tem a previsão de ser realizada entre os dias 15 a 25 de junho de 2024, na cidade de Bissau, capital da Guiné-Bissau, África Ocidental. O projeto visa promover um espaço de troca ao expandir a presença das artes brasileiras no exterior, portanto configura-se como um evento de circulação e intercâmbio com outros agentes da arte nas diversas linguagens artísticas.

O educador Beto Oliveira, idealizador da Semana da Música Brasileira, traz de maneira prática e objetiva a execução e ensino de alguns instrumentos típicos brasileiros, como a zabumba, o pandeiro, o tamborim, o triângulo, o ganzá, entre outros e algumas manifestações culturais como o samba, o baião, o maculelê, a ciranda e o Maracatu. Com o objetivo de aproximar as duas Nações irmãs e comemorar de maneira grandiosa, os 15 anos do projeto. “Ela, a Semana, representa o Brasil em suas raízes, história, cultura e arte, através de suas manifestações e sua cultura popular”, conta Oliveira, acrescentando que o projeto retorna à África, com o objetivo de dar continuidade ao mesmo, fortalecendo assim o vínculo Brasil- África”.

Expressões artísticas

Segundo o educador, nesta edição irá acontecer, paralelamente, o 1°

 Encontro da Artes Visuais, idealizado pela fotógrafa Virginia Yunes, com o intuito de promover um espaço de reflexão, exposição e integração das diversas expressões artísticas a partir de debates, mostras, lançamento de livros, maratonas culturais, oficinas, cursos, entre outros.

Em diálogo e a convite do responsável do Centro Cultural Carlos Schwarz, em Bissau, atendendo as demandas local foi pensado para esta primeira edição uma exposição fotográfica com uma temática cultural do Brasil e uma oficina de fotografia que tem por objetivo proporcionar aos participantes conhecimentos teórico-práticos no campo da fotografia (rua, espetáculos, estúdio,…), sobretudo visa estimular a criatividade, a imaginação; desenvolver a linguagem visual e trabalhar o protagonismo, a escrita de si. “Lembrando que essa edição tem caráter voluntário, sem fins lucrativos”, pontua Oliveira.

Histórico

A Semana de Música Brasileira em Guiné Bissau, já está na sua décima primeira edição, e é uma forma concreta de fortalecer as relações culturais das raízes brasileiras com as raízes africanas, especificamente guineenses. Cada edição conta com a participação e formação de aproximadamente 200 estudantes nas oficinas oferecidas. Deste modo, ajuda a divulgar o Brasil e Arte, em especial a música brasileira, por meio dos tambores regionais, cantigas de rodas e folclore.

A trajetória da Semana da Música Brasileira teve início no ano de 2009, precisamente por meio do Edital de Intercâmbio e Difusão Cultural do Ministério da Cultura. As duas primeiras edições (2009 e 2010) foram realizadas na cidade de Bissau, Guiné Bissau. A terceira edição, em 2011, realizou-se no Brasil com a vinda do Grupo Cultural Netos de Bandim, grupo parceiro do projeto em Bissau. Na 4ª edição, o projeto passou a contar com o educador musical Ramon Saciloto, aplicando então uma grande oficina de iniciação ao violão brasileiro e suas influências. Entre os anos de 2014 e 2022, houve mais cinco edições do projeto, sendo quatro em solo africano (2017, 2018, 2019 e 2022) e em 2018, uma turnê em solos brasileiros pelas seguintes cidades: Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Florianópolis e interior paulista, com a presença do Grupo Cultural Netos de Bandim.

Um dos objetivos foi de estimular a apoiar iniciativas locais, artistas, coletivos, grupos culturais e fazedores da cultura em geral. O Grupo Cultural Netos de Bandim, um dos grandes representantes da cultura local guineense pelo mundo, foi parceiro desde o início do projeto e hoje conta com um acervo considerável de instrumentos típicos brasileiros que foram adquiridos a cada evento realizado. Atualmente, em suas apresentações incluem danças e ritmos afro-brasileiros, resultado das tantas oficinas realizadas pelo grupo em solos brasileiros e africanos, através deste projeto.

Cartas entre Marias

Tendo em vista o sucesso da Semana da Música Brasileira e a demanda nos outros campos da arte é que a fotógrafa Virginia Yunes, que já morou durante dois anos na Guiné Bissau trabalhando na UNICEF e CARITAS, que escreveu um livro infanto-juvenil intitulado: “Cartas entre Marias: Uma viagem a Guiné Bissau”, é um livro de cartas e fotografias para o público infantojuvenil. Nas cartas trocadas entre duas amigas Marias, uma no Brasil e a outra no país africano, o leitor conhecerá seus mundos e, em particular, o mundo vivenciado em meio aos costumes, às línguas locais e aos demais elementos culturais de Guiné-Bissau. Virginia fez também seu doutorado sobre o Conflito civil de 1998 na Guiné e inclusive obteve uma bolsa sanduiche para realizar parte dele na Universidade de Lisboa,

Portugal. Desde 1998 ela viaja e interage com muitas pessoas e entidades locais revelando uma forte familiaridade. A proposta de criar a Semana de Artes Visuais surgiu no diálogo com algumas ONGs e o Centro Cultural de Carlos Schwarz, em Bissau, como uma forma de apoio e incentivo aos agentes locais. No futuro a tendência é crescer, pensar uma programação mais ampla, fomentar a participação de mais artistas e espaços para democratizar a arte e formar público.

A Fotografia e a música são pensadas de maneira conjunta, uma vez que a imagem e o som são expressões artísticas que podem oferecer diferentes interpretações e sentidos. A oficina busca aproximar imagem e melodia.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias