terça-feira, 16, abril, 2024

Encontro em Araraquara debate a Atenção Primária na Saúde da cidade e da região

Com presença do secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, evento reuniu palestrantes renomados, com a abordagem de temas relevantes para todos os profissionais e acadêmicos da área

Mais lido

O Distrito Araraquara (antigo Cear) sediou nesta quinta-feira (7) a 1ª edição do Encontro de Medicina de Família e Comunidade de Araraquara, evento que teve como tema “Fortalecendo a Atenção Primária à Saúde no Brasil: Estratégias e Experiências de Sucesso”. A atividade, que foi gratuita e com emissão de certificado, reuniu aproximadamente 500 pessoas entre profissionais de saúde, residentes, preceptores, médicos de Saúde da Família e estudantes dos cursos de saúde, especialmente do curso de Medicina da Uniara. Em sua fala, Edinho destacou a importância da 

Saúde da Família e a empatia que é exigida dos profissionais que atuam nesse segmento. “Eu acredito na 

Saúde da Família, eu acredito na saúde comunitária. E não é crença pela crença. Penso que só há uma forma de transformarmos em saúde e, mais do que isso, doença em saúde com dignidade. É preciso trabalhar a integralidade da pessoa humana, fazer com que o ser humano seja processo e não um mero objeto, que o ser humano seja controlador do processo da sua saúde ou mesmo do processo em que ele vença a doença, para que ele não seja tratado como alguém que tem o todo poderoso que diz o que ele tem que fazer. Não, ele tem que entender o processo de saúde como sendo o processo dele, ele tem que acreditar naquilo que está fazendo e tem que se sentir parte do processo de construção da sua própria saúde. Trabalhar com Saúde da Família é uma escolha de vida e não só um diploma. E essa escolha de vida pressupõe empatia. Não existe Saúde da Família sem empatia e sem o exercício de se pôr no lugar do outro”, ressaltou o prefeito.

O encontro contou com a participação remota do Dr. Felipe Proenço de Oliveira, secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde e médico de Família e Comunidade, que enalteceu o trabalho realizado em Araraquara em nome do prefeito Edinho. “Quando tem um prefeito que entende o papel da formação de Medicina de Família e Comunidade e o quanto isso representa para a Atenção Primária à Saúde, o município ganha muito. Sabemos que essa é só uma das dimensões do que vem sendo desenvolvido em Araraquara, mas isso já torna a cidade em uma referência nacional fundamental em termos de política pública de saúde”, frisou.

A secretária municipal de Saúde de Araraquara, Eliana Honain, valorizou o propósito do encontro. “Para nós não termos tantas pessoas precisando ser internadas, tantas pessoas precisando passar por especialistas, 

tantas pessoas precisando passar por tantos procedimentos, precisamos ter muito bem resolutiva a nossa Atenção Básica. E é para isso que trabalhamos diariamente, para fortalecer a nossa Atenção Básica. Tenham certeza de que nós estaremos trabalhando sempre da melhor maneira para cuidar das pessoas e vamos seguir em frente, fazendo de Araraquara essa referência que foi na pandemia se transformar em uma referência na resolubilidade, na cobertura da Atenção Básica no nosso município”, mencionou.
A coordenadora do curso de Medicina da Universidade de Araraquara, Dra. Cynthia Piratelli, que na solenidade representou o Prof. Dr. Luiz Felipe Cabral Mauro, reitor da Universidade de Araraquara (Uniara), destacou o papel formador do curso de medicina e da residência médica. “É uma missão vocacional acadêmica com um propósito inquestionável na preparação de profissionais de Saúde como uma equipe, médicos, enfermeiros, biomédicos, farmacêuticos, fisioterapeutas, psicólogos, dentistas, que sejam defensores do Sistema Único de Saúde, dos princípios de cidadania, dignidade humana e saúde integral, que sejam articuladores de conhecimentos, habilidades e atitudes para o exercício profissional, respeitoso, considerando todos os aspectos que compõem a diversidade humana e executores das políticas públicas do Sistema de Saúde, com ações para o bem-estar da família e da comunidade”, salientou.

A solenidade de abertura contou com uma apresentação da Orquestra Filarmônica Experimental Uniara. Após a cerimônia, foram ministradas as palestras “Estratégias para o fortalecimento do trabalho em equipe na Atenção Primária à Saúde do futuro”, com o Prof. Dr. Felipe Proenço de Oliveira; “Experiências bem-sucedidas de trabalho em equipe na América Latina para o fortalecimento da Atenção Primária à Saúde”, com a Profa. Dra. Jacqueline Ponzo; “O seriado Unidade Básica e o uso de estratégias televisivas para o fortalecimento da Atenção Primária à Saúde e da especialidade Medicina de Família e Comunidade no Brasil”, com Ana Petta e Helena Petta; “O papel da Residência em Medicina de Família e Comunidade e outras sugestões da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade”, com a Profa. Zeliete Zambom; e “O papel das Ligas de Medicina de Família e Comunidade e estudantes de Medicina no fortalecimento da especialidade no Brasil”, com Vitor Caramuri Cardoso de Moraes.

O evento teve ainda um debate com perguntas do público, coffee break e a exibição do documentário “Quando falta o Ar” (gravado em 2021, durante a pandemia de Covid-19), seguida de um debate aberto do público com as cineastas, roteiristas e diretoras Helena Petta e Ana Petta sobre os desafios do enfrentamento à pandemia, abordando o papel dos diversos profissionais da saúde nesse contexto.

O encontro também celebrou a aula inaugural dos programas de Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade de Araraquara, Praia Grande, Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, Barretos e Catanduva. A realização foi do Programa de Residência em Medicina de Comunidade de Araraquara, curso de Medicina da Universidade de Araraquara (Uniara) e Prefeitura Municipal de Araraquara. O evento foi patrocinado pela Associação Paulista de Medicina de Família e Comunidade, Instituto Paladini de Ensino em Saúde e Onlineclinic Prontuário Eletrônico, e teve o apoio da Secretaria de Atenção Primária à Saúde (APS) do Ministério da Saúde, Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, Associação Paulista de Medicina de Família e Comunidade e Núcleo Regional de Medicina de Família Araraquara.

Também participaram do evento o presidente da Câmara Municipal de Araraquara, Paulo Landim (PT) e os vereadores Alcindo Sabino (PT) e Filipa Brunelli (PT); o secretário de Direitos Humanos e Participação Popular, Marcelo Mazeta; o secretário de Cooperação dos Assuntos de Segurança Pública, coronel João Alberto Nogueira Júnior; a secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Jacqueline Barbosa; a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Cidinha Silva; a presidente da Associação Paulista de Medicina de Família e Comunidade, Dra. Natalia Cristina Araújo Oliveira; a presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, Zeliete Zambon; a secretária de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Isabela Pinto (participação remota); a presidente do Núcleo Regional de Medicina da Família da Comunidade de Araraquara, Dra. Adriana Aveiro Ventura; o coordenador da Divisão de Educação Permanente em Saúde do município de Praia Grande, Guilherme Augusto Braga Silva, que no ato representou o secretário de Saúde Pública de Praia Grande, o Dr. Cleber Suckow Nogueira; a coordenadora de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde de Araraquara, Dra. Talitha Martins; o supervisor do Programa de Residência Médica e Medicina de Família e Comunidade de Araraquara, Dr. Felipe Calixto; o acadêmico Vitor Caramuri, que representou a Associação Nacional das Ligas de Saúde  da Família; a presidente saliente da Confederação Ibero-Americana de Medicina da Família, Profa. Jacqueline Ponzo; o provedor da Santa Casa de Araraquara, Jéferson Yashuda; e o diretor do Sesa Araraquara, Dr. Walter Figueiredo.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias