terça-feira, 18, junho, 2024

FAB intercepta aeronave em Zona de Identificação de Defesa Aérea (ZIDA)

Missão ocorreu durante a manhã dessa segunda (29), a 110 quilômetros de Boa Vista (RR)

Mais lido

A Força Aérea Brasileira (FAB) identificou, na manhã desta segunda-feira (29/01), a cerca de 110 quilômetros a oeste de Boa Vista, capital de Roraima (RR), uma aeronave de modelo Cessna 182, em suspeita de tráfego aéreo ilícito na Zona de Identificação de Defesa Aérea (ZIDA), espaço sobrejacente e adjacente à Terra Indígena Yanomami. Aeronaves E-99, R-99 e A-29 Super Tucano foram empregadas na missão em conjunto com a Polícia Federal (PF).

O avião passou a ser monitorado pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) e pela PF. Por estar descumprindo as regras da ZIDA, conforme previsto no Decreto 11.405 de 30 de janeiro de 2023, a aeronave foi classificada como suspeita e o piloto de defesa aérea seguiu o protocolo das Medidas de Policiamento do Espaço Aéreo (MPEA).

Após descumprimento das ordens do piloto da FAB, foi necessário que a defesa aérea realizasse o Tiro de Aviso (TAV). Nesse momento, a aeronave fez um pouso em uma pista de terra. Um helicóptero da FAB, o H-60 Black Hawk, também foi empregado para o transporte de militares do Grupamento de Segurança e Defesa da Base Aérea de Boa Vista (GSD-BV) e de Agentes da PF. Posteriormente à realização das Medidas de Controle de Solo (MCS), a Polícia Federal realizou a apreensão da aeronave. O piloto evadiu-se do local após o pouso.

Saiba mais sobre a ZIDA

Com base no Decreto Presidencial N° 11.405, de 30 de janeiro de 2023, a Força Aérea Brasileira ativou, em fevereiro de 2023, uma Zona de Identificação de Defesa Aérea (ZIDA) no espaço aéreo da região norte do país. A medida teve por finalidade incrementar a capacidade de Defesa Aérea em uma área que compreende a Terra Indígena Yanomami e adjacências, contribuindo para o combate ao garimpo ilegal em Roraima (RR).

De acordo com o dispositivo, a ZIDA é composta por: uma área reservada (Área Branca); uma área restrita (Área Amarela); e uma área proibida (Área Vermelha), cabendo ao Comando da Aeronáutica a adoção das Medidas de Policiamento do Espaço Aéreo (MPEA) contra todos os tipos de tráfego aéreo suspeitos, conforme previsto no Código Brasileiro de Aeronáutica.

O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) é o responsável pelo planejamento, coordenação e execução das Ações de Força Aérea voltadas para a Tarefa de Controle Aeroespacial, conduzindo os meios aéreos necessários para identificação, coerção ou detenção dos tráfegos voando no Território Nacional.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias