sexta-feira, 1, março, 2024

Miss Araraquara oficial 2023 e projeto “Somos todos iguais” promovem evento beneficente e inclusivo 

Ideia é quebrar o estereótipo que para ser uma Miss tem que ser linda

Mais lido

“É o momento de escolhermos a nova embaixadora municipal 2023!” A ONG Projeto Meu Guri, a Associação Chá de Vida e os parceiros envolvidos deste movimento apresentarão eventos inclusivos Miss Araraquara oficial 2023 e projeto “Somos todos iguais” no próximo dia 11, a partir das 20h, no Clube Nossa Caixa (R. José Barbieri Neto, 734 – Araraquara). Cada edição do Miss Araraquara tem um tema central que representa o ano.

Após dois anos de pandemia, o concurso de beleza será realizado com muitas mudanças e surpresas, onde seu tema principal de 2023 será sobre Mulheres. Dentre as novidades, o evento terá aproximadamente 40 participantes e vários apoiadores e patrocinadores desta iniciativa, além de ter também um desfile inclusivo com a 2° edição do projeto Somos Todos Iguais.

A coordenadora e realizadora de eventos, Korina Viana, traz um diferencial para toda cidade e ainda complementa sobre sua visão relacionada a beleza. Além do Miss Universo ter mudado seu posicionamento de poder dar oportunidade para mulheres casadas ou divorciadas, com filhos e acima de 26 anos, a promoter viu que também podia fazer de seu propósito algo muito além para todas as mulheres e mães da sociedade. “O Miss Universo vem mudando. Antigamente, a candidata não podia ser casada, ter filhos, ser divorciada e deveria ter até 26 anos. No ano passado, foram tiradas as regras referentes a filhos e casamentos e este ano derrubaram a questão da idade, porque a mulher pode estar onde ela quiser, independente de idade e condições pessoais”, disse Korina.

Outra informação da promoter é: “Pela primeira vez na história, o Miss Araraquara também terá um diferencial quando se trata de inclusão social, pois haverá participação de candidatas nas categorias Juvenil e Plus, com deficiência ou não, para a participação deste propósito. Uma delas na categoria plus é deficiente visual (Elisete, ou conhecida como Elis) e a outra é profissional Gari (Adrielli). Já no juvenil temos como destaque a jovem Ana Carolina que é “down” e que está fazendo parte deste posicionamento. Outro ponto importante é que nesta edição não haverá desfile de biquíni ou maiô para que a participante mostre a sua beleza”.

A edição de 2023 será a primeira após o período pandêmico. Hoje as categorias que estão sendo disputadas são: Infantil, Teen, Juvenil, Adulto e Plus Size. As misses eleitas nas primeiras colocações representarão Araraquara nas etapas estadual e posteriormente nacional (caso ganhem o título de Miss SP). “Araraquara pode eleger até três representantes para a etapa estadual, sendo elas a Miss Araraquara, a Miss Morada do Sol e a Miss Bueno de Andrada”, destacou Korina.

Dentro ainda deste propósito, a edição deste ano tem a oportunidade com que cada candidata homenageie uma mulher no evento. “Durante a apresentação, elas devem descrever as mulheres que estão homenageando. Seja na música, na ciência, na arte, na educação, na literatura, na dramatologia, mulheres que deixaram um legado”, explicou.

E por último, uma das maiores exigências desta participação é que as candidatas estejam engajadas em causas sociais e que cumpram tarefas junto à organização do concurso. Dentro de todas as mudanças, conforme a promoter Korina mencionou, vieram com a reavaliação do conceito do que de fato se trata a beleza no mundo. “Queremos quebrar o estereótipo que para ser uma Miss tem que ser linda. Na realidade, a beleza é relativa, não é fundamental. Hoje queremos misses com mais responsabilidade social e amor ao próximo”, disse a organizadora. A frente da organização do evento desde 2007, Korina concluiu que a competição vai além de um concurso de beleza. “Já vi vidas que mudaram após o concurso de Miss”, concluiu.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias