quinta-feira, 22, fevereiro, 2024

Usuários do Velório Municipal reclamam de goteiras e problemas de conservação do local

Com pouca adesão, até o momento, 1.450 concessionários foram convocados para regularizarem suas sepulturas no São Bento

Mais lido

Por José Augusto Chrispim

Um caso inusitado, mas não muito raro de acontecer, foi registrado na última semana no Velório Municipal de Araraquara. Um corpo precisou ser trocado de sala durante o velório, pois o telhado apresentava uma grande goteira sobre o caixão.

De acordo com o apurado pela reportagem de O Imparcial, o prédio público apresenta várias avarias devido à falta de manutenção por parte da Prefeitura. Com 145 anos de funcionamento, o cemitério São Bento, onde fica localizado o Velório Municipal, conta com cerca de 11 mil sepulturas.

Reforma prevista

A reportagem procurou a Prefeitura que, através da assessoria de imprensa, informou que tem conhecimento do problema no telhado que causa entrada de água no prédio do Velório Municipal e informou que a reforma, que está em fase de elaboração de projeto, será executada nos próximos meses, devendo ser iniciada logo após o término da reforma do Cemitério dos Britos, cuja ordem de serviço foi assinada semana passada.

Capela fechada

No último dia 2 de novembro, Dia de Finados, as missas foram realizadas em tendas instaladas pela Prefeitura em frente da capela do Cemitério São Bento, pois a mesma se encontra fechada para reforma há mais de 6 anos. Este é outro problema apontado pelos fiéis que aguardam sem previsão de quando poderão voltar a fazer suas orações no local adequado.

A Capela está protegida através do artigo 104 da Lei Complementar nº 850 de 11 de fevereiro de 2014 indicando que quaisquer intervenções previstas para a edificação devem ser aprovadas e fiscalizadas pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, inclusive, a medida protetiva deve estar regulamentada para a correta e eficaz aplicação da legislação, visando a proteção do bem. Fato esse que complica ainda mais a realização de obras no local.

Regularização das sepulturas

A reportagem questionou também a prefeitura sobre a regularização das sepulturas que vem tendo pouca adesão. “A respeito da regularização, a Prefeitura iniciou em 30 de maio a convocação dos concessionários que manifestaram interesse em regularizar as concessões dos túmulos entre julho e outubro de 2022. Eles estão sendo convocados para a assinatura e retirada da sua via do contrato de concessão de uso da respectiva sepultura. Os editais com as relações dos concessionários são publicados às terças-feiras nos atos oficiais do município e no site www.araraquara.sp.gov.br.

Até o momento, 1.450 concessionários foram convocados, mas o número de pessoas que estão atendendo as convocações semanais e estão procurando a administração do cemitério para assinatura do contrato ainda é muito baixo. Por isso, a administração está estudando uma outra forma de convocação, além das que já estão em vigor”, respondeu a assessoria.

Cobrança das taxas

Com relação às taxas previstas para a utilização das sepulturas, a Prefeitura respondeu que “a cobrança foi autorizada agora no mês de outubro e ela só pode ser feita a partir da assinatura do contrato. Dessa forma, não é possível ainda levantar uma média de arrecadação. Vale salientar que os concessionários devem atender às convocações e procurar a administração dos cemitérios municipais para assinar o contrato de concessão de uso da respectiva sepultura”, finalizou.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias