domingo, 25, fevereiro, 2024

Penitenciária de Araraquara inaugura sala de leitura do Projeto “Salas da Liberdade”

O projeto da Funap segue a meta de expansão dos espaços de leitura destinados ao desenvolvimento da educação e cultura no sistema prisional

Mais lido

Por José Augusto Chrispim

A Penitenciária “Dr. Sebastião Martins Silveira”, situada em Araraquara, inaugurou nessa quinta-feira (26), a nova sala de leitura do Projeto “Salas da Liberdade”. O projeto segue a meta de expansão dos espaços de leitura destinados ao desenvolvimento da educação e cultura no sistema prisional paulista.

Prestigiaram o evento, o vice-prefeito de Araraquara, Damiano Neto (PP), o presidente da Câmara Municipal de Araraquara, Paulo Landim (PT), o coordenador das Unidades Prisionais da Região Noroeste, Jean Ulisses Campos Carlucci, o diretor executivo da FUNAP, Mauro Lopes dos Santos, Marcelo Pedro Antônio, diretor da Penitenciária de Araraquara, o professor Alexandre Silveira Campos, vice-coordenador do Curso de Letras da Unesp, Nilton Bigotte, coordenador do Senai Araraquara, José Marcos Holsapfel, chefe de gabinete da Funap, além de reeducandos e parceiros das atividades de ressocialização realizadas na unidade prisional.

Sair melhor do que entrou

Falando à reportagem de O Imparcial, o diretor da Penitenciária, Marcelo Pedro Antônio, relatou que o novo projeto é uma extensão de outro projeto de leitura que já era realizado na unidade, aplicado pela FUNAP e, que agora, os reeducandos terão um espaço mais adequado e acolhedor, promovendo o estímulo à leitura e ampliação do conhecimento, podendo ainda remir as suas penas. “Nós já possuímos um acervo literário de mais de 3 mil obras, mas ainda não havia aqui um espaço adequado para a leitura, sendo assim, os presos pegavam a obra na biblioteca e levavam para o pavilhão habitacional onde faziam a leitura. Agora, esse espaço veio criar um ambiente muito mais didático e dinâmico para que ele possa aproveitar a obra literária da melhor maneira possível. Para a gente, é uma grande honra ser contemplados com esse projeto que é originário da Funap, que nos ajuda a oferecer aos que aqui se encontram um ambiente propício à leitura. Eu costumo dizer que os que aqui hoje estão, amanhã serão seus vizinhos, então esperamos que ele possa sair daqui um pouco melhor do que ele entrou”, resumiu o diretor.

Satisfação para a Funap

Mauro Lopes dos Santos, diretor executivo da Funap, destacou à reportagem que dentre os programas realizados pela Funap, as salas de leitura propiciam um ambiente adequado de leitura para os reeducandos que, inclusive, podem ter a remissão de suas penas através da leitura de até quatro dias por livro. “Além da remissão das penas, penso que o mais importante do projeto é desenvolver no reeducando o hábito da leitura como forma de adquirir conhecimento. A Funap propicia isso através desses projetos, adquirindo o mobiliário e os livros. Essa é uma satisfação muito grande para a Funap que espera entregar nos quatro anos desse governo 100 salas de leitura”, comemorou o diretor da Funap.

Parcerias

Alexandre Rodrigues Cabrera, diretor adjunto de Promoção Humana, disse que o projeto é desenvolvido preponderantemente com parcerias de universidades, o que facilita a aproximação dos alunos desse ambiente para entender o sistema prisional apoiando nos projetos de leitura. “É importante destacar que de 2022 pra cá houve um crescimento onde saímos de 6 mil relatórios de leitura produzidos para 18 mil relatórios, o que vem colaborando muito com os projetos de leitura nas unidades prisionais. Devemos destacar também que os projetos de leitura melhoram o vocabulário dos reeducandos e também ajudam na cognição. Isso vem em apoio aos projetos profissionalizantes desenvolvidos em parceria entre a Funap e os demais parceiros que nós temos”, finalizou Cabrera.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias