domingo, 25, fevereiro, 2024

Programa de incentivo à alimentação saudável- FIESP e CIESP iniciam apresentação do projeto às empresas da cidade e região

A Lupo S/A foi a primeira companhia a receber a comitiva composta por representantes estaduais e da regional

Mais lido

O Programa Alimentar o Futuro – Segurança Alimentar e Nutricional na Infância, criado pela Fiesp em parceria com o Ciesp e Sesi-SP, foi apresentado pela primeira vez para os líderes de diversos setores da Lupo S/A, em Araraquara. Bruno Franco Naddeo, diretor titular do Ciesp Araraquara, e Michele Delgatti Pelaes, gerente da regional, apresentaram os propósitos do projeto em uma reunião na última segunda-feira (27).

Os aspectos da missão do programa, com a promoção da segurança alimentar e nutricional de crianças até 10 anos em São Paulo, foram expostos por Aracélia Costa, consultora de Programas de Responsabilidade Social da Fiesp, e Claudia Saka, especialista em Projetos de Responsabilidade Social do Ciesp. “As ações buscam fortalecer o direito à alimentação de forma regular e saudável, conectar o tema de forma interdisciplinar com educação, saúde e assistência social, e contribuir para o desenvolvimento físico, intelectual e emocional na infância”, destaca Aracélia.

Naddeo revela que a região de Araraquara foi selecionada como referência em razão das políticas públicas municipais em segurança alimentar. “A Lupo tem programas sólidos de responsabilidade social e sustentabilidade e que estão alinhadas com nossa proposta, por isso é a primeira empresa na região a conhecer o programa”, afirma. O Alimentar o Futuro, lançado em 16 de outubro, será iniciado com um projeto-piloto nas regiões de Araraquara e Vale do Ribeira.

Ainda segundo Naddeo, o programa de segurança alimentar, além de ser uma resposta às estatísticas alarmantes sobre a fome em várias regiões do país, é uma ação concreta em direção à colaboração entre empresas, organizações sociais e poder público. Ele destaca que um núcleo de apoio do Ciesp facilitará projetos locais e um observatório, compartilhará dados com a sociedade. “Estamos em contato com as prefeituras parceiras para assinatura dos convênios, visando iniciar o projeto junto com os parceiros no primeiro semestre de 2024”, ressalta.

O Programa

O Alimentar o Futuro – Segurança Alimentar e Nutricional na Infância prevê a implantação de um Núcleo de Apoio para estimular empresas a articularem projetos locais em parceria com Organizações Sociais do terceiro setor e com o poder público. A proposta é replicar o programa em todo o Estado após o lançamento do projeto-piloto nas regiões de Araraquara (28 municípios) e do Vale do Ribeira, contando também com a participação do Consórcio de Municípios da Região Central do Estado (Concen).

Aracélia Costa ressalta indicadores preocupantes do país, registrados pelo 2º Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar, especialmente durante a pandemia de 2022, e que chamaram a atenção da instituição para a proposta. A pesquisa de 2022 revela que apenas quatro em cada 10 famílias brasileiras tinham acesso à alimentação, com 37% dos lares com crianças até 10 anos em situação de insegurança alimentar, incluindo 18% em situação de fome.

Além disso, esses estudos científicos mostram que a fome afeta de forma significativa o desenvolvimento global das crianças. “Por isso, é fundamental unirmos forças, até porque esta situação impacta negativamente os aspectos físicos, emocionais, cognitivo, de aprendizagem e de linguagem das nossas crianças”, finaliza.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias