domingo, 25, fevereiro, 2024

Secretaria da Saúde fará adequações em CMS do Yolanda após furto de compressor 

Vereador Rafael de Angeli (PSDB) questionou demora na reposição de equipamento usado em inalações

Mais lido

Após visita de fiscalização realizada em setembro ao Centro Municipal de Saúde (CMS) “Dr. Francisco Oswaldo Castelucci”, localizado no Yolanda Ópice, o vereador Rafael de Angeli (PSDB) enviou à Prefeitura o Requerimento nº 751/2023, no qual pediu informações sobre a reposição de um compressor de oxigênio, furtado da unidade há mais de dois anos. 

Ciente da importância que o equipamento tem para os pacientes que precisam de tratamento por meio de inalação, o parlamentar questionou os motivos que levaram o Município a não fazer a reposição do item até o momento e se há uma previsão para que isso seja feito. 

Em sua resposta, a Secretaria Municipal da Saúde afirmou que, devido à pandemia de Covid-19, o Ministério da Saúde recomendou que o uso de nebulizadores fosse suspenso para evitar a transmissão do vírus por aerossol. 

No mesmo sentido, a cidade também segue a orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS), a qual dispõe sobre o uso de broncodilatadores em spray inalatório, com espaçador individual, que é o procedimento que tem sido adotado desde então pelas Unidades de Saúde de Araraquara, não havendo, portanto, a necessidade de substituição. 

A pasta responsável ainda afirmou que o local possui outro compressor, usado atualmente pela equipe de odontologia, e que também poderá ser utilizado para as inalações, caso existam situações que exijam o recurso. No entanto, para que isso aconteça, é preciso que o CMS passe por adequações, que estão sendo providenciadas, permitindo o aproveitamento da estrutura existente em setores diferentes. 

“A demora na reposição do compressor no CMS Yolanda é preocupante. Após mais de dois anos do furto, ainda não houve uma solução satisfatória. Transferir o único compressor entre setores não é uma prática eficiente, especialmente para tratamentos essenciais como inalações. As adequações anunciadas pela Secretaria precisam ser ágeis para garantir a qualidade dos serviços de saúde. Continuaremos a cobrar ações imediatas para priorizar a saúde da população”, pontua Angeli. 

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias