domingo, 25, fevereiro, 2024

Secretaria responde sobre falta de remédios e fraldas em unidades de saúde  

Há carência de produtos essenciais nas unidades, como antialérgicos, amoxicilina, penicilina e estriol, além das fraldas

Mais lido

No mês de agosto, o vereador Rafael de Angeli (PSDB) protocolou o Requerimento nº 647/2023, solicitando informações sobre o abastecimento de medicamentos e fraldas na Rede Municipal de Saúde.  

Segundo o parlamentar, há carência de produtos essenciais nas unidades, como antialérgicos, amoxicilina, penicilina e estriol, além das fraldas.  

Em resposta, a Secretaria da Saúde informa que os remédios indisponíveis ainda aguardam empenho de fornecedores, exceto pelo medicamento Dexclorfeniramina, o qual não foi entregue, causando multa aos responsáveis pela entrega.  

“São efetuadas cobranças de entregas aos fornecedores; contato com o setor de compras para agilizar a abertura de novas atas de registro de preços; contato com o setor de empenhos para solicitar emissão dos empenhos; e solicitação ao setor de contratos para emissão de multa aos fornecedores com atrasos nas entregas”, afirma. 

Em relação às fraldas, o setor aponta que são fornecidas cerca de 190 mil mensalmente nas unidades de saúde, sendo disponibilizadas em diversos tamanhos para crianças e adultos.  

Dados detalhados sobre fornecedores, preços e tamanhos são anexados ao final do documento. 

“É fundamental garantir o acesso contínuo a medicamentos e fraldas em nossas unidades de saúde. Estamos acompanhando de perto essa questão e cobrando ações para resolver a situação. No entanto, a repetição da falta desses itens é preocupante; os araraquarenses ligam diariamente cobrando essas questões. A prefeitura e a secretaria precisam tomar medidas urgentes a esse respeito. A saúde de nossa comunidade é uma prioridade, e juntos superamos esses desafios”, finaliza de Angeli. 

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias