quinta-feira, 18, julho, 2024

Sem sistema de ventilação, novo NGA-3 e Ambulatório Trans não podem ser inaugurados 

Vereador Rafael de Angeli (PSDB) pediu informações sobre início dos atendimentos à população no local

Mais lido

Após sua última visita de fiscalização às futuras instalações do Núcleo de Gestão Ambulatorial “Doutor Francisco Logatti” (NGA-3) e do primeiro Ambulatório Trans de Araraquara, o vereador Rafael de Angeli (PSDB) enviou à Prefeitura requerimento em que perguntava sobre a estimativa para início dos atendimentos à população naquele local, além de questões relacionadas à regularização do espaço mediante órgãos públicos e necessidade de reparos na estrutura. 

A Secretaria Municipal da Saúde emitiu ofício informando que ainda não é possível informar data prevista para a inauguração da obra, pois isso ainda depende da conclusão dos serviços no sistema de troca de ar e climatização do prédio, além do término dos ajustes que estão sendo executados pela construtora. 

Segundo relatado pelo coordenador Executivo de Assistência Especializada, Misael Henrique Emilio, o laudo do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) já foi emitido e os testes dos hidrantes, realizados. Em relação à pendência com a Vigilância Sanitária, ele afirmou que é preciso que o sistema de ventilação esteja pronto para a finalização do processo de obtenção do alvará e da Licença de Funcionamento, porém, não foi esclarecido em quanto tempo isso será feito. 

Sobre as rachaduras nas paredes externas, a gerência de Fiscalização de Obras comunicou que a construtora responsável programou os reparos necessários para acontecerem partir de 31 de outubro e que, semanalmente, a empresa contratada tem realizado vistorias técnicas no imóvel. Quanto à remoção dos tocos e galhos de árvores cortadas na divisa do prédio com o condomínio, Emilio confirmou que a limpeza do local foi iniciada em 10 de novembro e que os trabalhos estão sendo acompanhados pelas duas pastas. 

      ”As obras no NGA-3 apresentaram muitos atrasos, e quando tudo parecia pronto, foi possível constatar ainda mais problemas, pequenos, mas significativos. Com tudo isso, as coisas se arrastaram ainda mais. Segundo a secretária da saúde, em Sessão na Câmara, devido a muitos ‘embargos’ que estão prolongando o tempo de entrega, a esperança é que o NGA-3 e o ambulatório Trans sejam entregues no fim de janeiro, mas que o local já estaria pronto. A pergunta que fica é: por que esses embargos surgiram mesmo após tudo estar pronto? Por que não acelerar e entregar logo? Faremos novas visitas em breve para acompanhar de perto toda a situação”, conclui Angeli.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias