quinta-feira, 18, abril, 2024

Troca de partidos movimenta o Legislativo araraquarense visando as eleições 2024

Com as mudanças para o próximo pelito e a criação das Federações os partidos pequenos terão mais dificuldade para elegerem seus candidatos

Mais lido

Por José Augusto Chrispim

Com a abertura da “janela partidária” o cenário político de Araraquara já começou a se movimentar visando as eleições municipais que acontecem neste ano. Uma das movimentações, dentre as que estão sendo realizadas, é a troca de partidos por vários vereadores que estão em seu último ano de mandato. 

Quem quiser mudar de legenda, de acordo com a Lei 9.096/95, tem até o próximo dia 5 de abril, que é o último dia para filiação de pessoas que pretendem concorrer a algum cargo no Executivo ou no Legislativo. 

Mudanças de partidos

Com as mudanças em relação à última eleição e a criação das Federações, os pequenos partidos devem ter mais dificuldade para conseguirem eleger seus candidatos frente às legendas mais bem estruturadas. Por esse motivo, muitos vereadores estão migrando para agremiações maiores ou que devem compor Federações com partidos fortes na esperança de se reelegerem.

Entre os 18 vereadores do Legislativo araraquarense, cerca da metade já mudaram de legendas e outros ainda podem ir para novos partidos até a data limite.

Indecisão

Entre os que ainda não se decidiram sobre a permanência no partido pelos quais exercem seus atuais mandatos, o vereador Rafael de Angeli (PSDB) falou à reportagem de O Imparcial que tem conversado com vários partidos, inclusive com seu partido atual, sobre a sua permanência ou saída da sigla. De acordo com Rafael, não está descartada uma pré-candidatura a vice-prefeito, mas, para isso, teria que mudar de partido. Rafael já havia relatado a sua intenção de concorrer à Prefeitura em outras ocasiões, mas acabou desistindo. 

Outro vereador que ainda não se pronunciou sobre o seu futuro é o também tucano, João Clemente, que possivelmente está de saída para o Progressistas. Se isso se confirmar, a bancada do PSDB na Câmara Municipal vai deixar de existir.

Candidatura da direita à Prefeitura

Outro vereador que também trocou de partido foi o advogado Marcos Garrido. Ele deixou o PRD para se filiar ao PSD por onde deve disputar a Prefeitura nas próximas eleições como representante da direita na cidade. O vereador já inclusive teria recebido o aval do presidente nacional do partido, Gilberto Kassab.

O ex-companheiro de partido de Garrido, o vereador Marchese da Rádio, também deixou o PRD para se filiar ao PSD.

Já Lucas Grecco deve deixar sua atual legenda, o União Brasil, para ingressar PRD, mas ele ainda não confirmou a mudança.

O único vereador do Podemos, Lineu Carlos de Assis, também pode estar a caminho do Partido Novo.

Identificação política

O vereador Edson Hel relatou à reportagem de O Imparcial que está deixando a sua atual legenda, o Cidadania, por uma questão de afinidade com os partidos que integram a Federação que vai disputar as próximas eleições. Ele relatou que não tem uma ligação política com o PSDB que vai formar uma Federação com o Cidadania e deve lançar a socióloga Edna Martins para concorrer à Prefeitura. “Estou deixando o Cidadania pelo fato de ter mais afinidade com os partidos que compõem a Federação – PT, PV e PC do B -, e também pela confiança que tenho na direção do PV que é um partido com o qual eu me identifico”, explicou Hel que deixou a presidência do Cidadania que será comandado doravante por Antônio Claudio Gonçalves da Silva.

Já para o presidente do Diretório local do Partido Verde, Fernando César Câmara, o Galo, a vinda de Hel é um ganho muito grande para o partido. “Hel é muito bem vindo ao PV, pois é um vereador ligado à comunidade, é do povo, além disso, sempre teve uma conduta ilibada. Outro ponto positivo é que temos uma oportunidade de voltar a ter uma cadeira na Câmara Municipal”, destacou Galo.

MDB fortalecido

Entre os partidos que mais receberam filiações de vereadores que atuam por outras legendas, o MDB é um dos que devem sair mais fortalecidos para a disputa do Legislativo em outubro. Recentemente, em um evento realizado em Araraquara com a presença do presidente nacional do partido, o deputado federal Baleia Rossi, dois vereadores da atual legislatura assinaram suas filiações no partido. Carlão do Joia deixou o PRD para ingressar no MDB e a vereadora Luna Meyer saiu do PDT para engrossar as fileiras emedebistas.

Para o vereador Aluísio Braz, o Boi, o MDB deve chegar às eleições com muitas chances de eleger entre 4 e 5 vereadores. “Nas últimas eleições nós estávamos enfrentando uma pandemia com a incerteza se as eleições seriam realizadas ou não, por isso, não tivemos tempo hábil para estruturarmos o partido para mantermos as quatro cadeiras que tínhamos na legislatura passada. Hoje, nós vivemos uma outra situação muito mais tranquila na qual tivemos quatro anos para formarmos a nossa chapa de candidatos somente com gente com chances de conseguir um bom número de votos. Pelos nossos cálculos, a chapa do MDB e a Federação formada por PT, PC do B e PV, devem eleger a metade das cadeiras da Câmara. Caso a candidata do PT vença as eleições com o nosso companheiro Delorges Mano como vice, queremos continuar a participar do governo sempre com diálogo e sem extremismos”, declarou Boi.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias