segunda-feira, 20, maio, 2024

Arteris ViaPaulista inicia cobrança de tarifa por eixos suspensos de veículos carregados

Arrecadação, prevista em Lei Federal e Resolução, já ocorre em outras rodovias do Estado; valores garantirão investimentos em infraestrutura e inovação

Mais lido

A Arteris ViaPaulista informa que iniciará, a partir desta sexta-feira (26), a cobrança da tarifa de pedágio dos eixos suspensos de veículos pesados carregados – caminhões e carretas, ao longo dos 720 quilômetros da malha viária administrada nas regiões de Franca, Ribeirão Preto, Araraquara e Botucatu. A empresa é a segunda do grupo Arteris a iniciar essa cobrança prevista em lei.

Diferentes empresas de concessão de rodovias também já iniciaram a nova arrecadação, prevista na Lei Federal 13.103/2015 e na Resolução Conjunta da Secretaria de Parcerias em Investimentos e Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística – 001 – de 04-09-2023, que estabelece que não será considerado vazio e, portanto, será tarifado, o veículo pesado que estiver, no momento da cobrança do pedágio, com o Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e) vigente, ou o Documento Auxiliar de Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (DAMDFE), nos termos das normas fiscais respectivas.

O MDF-e é um documento fiscal eletrônico que traz informações sobre a origem, o destino e os tipos de produtos transportados registrados na Secretaria da Fazenda e Planejamento de São Paulo. Conforme determina a legislação, somente veículos vazios ou sem MDF-e aberto estarão isentos da cobrança da tarifa sobre eixos suspensos, ou seja, que não tocarem o solo. Ao passar por uma cabine de pedágio, o sistema faz a consulta da placa de forma automática no Sefaz-SP, e se o veículo estiver com o MDF-e aberto, o eixo será cobrado.

A Resolução Conjunta de São Paulo também não considera como vazio o veículo pesado que tenha peso bruto total do veículo incompatível com tal condição ou que, a partir de avaliação visual, não forem verificados em tal condição. Assim como o documento prevê, a Arteris também poderá fazer a fiscalização desses requisitos de maneira remota com sistema integrado de monitoramento e câmeras inteligentes com inteligência artificial, inclusive por meio de postos de pesagem, sempre que necessário com o apoio de agentes do Policiamento Rodoviário.

Facilidades de pagamento

A Arteris possui diferentes modalidades de cobrança de tarifa de pedágio para veículos leves e pesados que promovem ainda mais conforto e segurança aos usuários. Nas cabines manuais, há opção de pagamento em dinheiro ou cartão de débito com tecnologia por aproximação. Ainda há as pistas automáticas, que necessitam de saldo nas tags para a liberação dos veículos.

Redução de acidentes e responsabilidade social

A tarifa de pedágio arrecadada nas praças é essencial para que haja a continuidade de investimentos em infraestrutura e inovação das rodovias brasileiras. Nos primeiros nove meses de 2023, a Arteris investiu R$1,4 bilhões em 3.200 quilômetros de rodovias em cinco Estados, o que a fez alcançar uma redução de 51% dos acidentes e fatalidades, entre 2010 e 2020, em cumprimento à meta da Organização das Nações Unidas para um trânsito mais seguro para todos.

Além disso, do total arrecadado também é separado o Imposto Sobre Serviços (ISS), verba que é anualmente repassada às prefeituras de municípios localizados às margens das rodovias administradas pelas concessionárias da companhia. O ISS ajuda no desenvolvimento social e econômico da população e região, respectivamente. No caso da ViaPaulista, desde o início da concessão até dezembro de 2023, a empresa já repassou R$ 122 milhões de ISS aos 35 municípios lindeiros onde vivem aproximadamente dois milhões de habitantes.

O valor da receita dos pedágios garante qualidade e agilidade no atendimento de usuários na pista, sem custo adicional, 24 horas por dia e sete dias por semana. Em 2022, foram quase 800 mil assistências prestadas nas rodovias, entre elas apoio mecânico e atendimento pré-hospitalar. Parte dos valores provenientes das tarifas também é usado para manter projetos de responsabilidade social e meio ambiente. Em 2022, a Arteris destinou R$5,6 milhões a essas iniciativas.

No trecho da ViaPaulista, caminhoneiros dispõem de duas ADCs (Áreas de Descanso para Caminhoneiros) na SP-255, em Taquarituba e em Bocaina. As duas estruturas, que operam de forma gratuita, contam com vagas de estacionamento, sanitários, inclusive adaptados para pessoas com deficiência (PcD), salas de descanso com TV e acesso à internet wi-fi, fraldário, vestiário com duchas e lavanderia, além de pontos de energia elétrica para manter cargas refrigeradas.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias