quinta-feira, 29, fevereiro, 2024

Feira marca encerramento da 5ª Semana Municipal do Empreendedorismo Feminino 

Evento foi realizado em frente ao Palacete das Rosas, na sexta (24), em parceria do vereador Rafael de Angeli (PSDB) com Grupo MEA e Prefeitura

Mais lido

Uma feira realizada em frente ao Palacete das Rosas, no Centro, na última sexta-feira (24), marcou o encerramento da 5ª edição da Semana Municipal do Empreendedorismo Feminino. A data comemorativa foi criada em 2019 por meio de lei de iniciativa do vereador Rafael de Angeli (PSDB). 

O evento foi organizado em parceria do mandato do parlamentar com o Grupo Mulheres Empreendedoras de Araraquara (MEA) e a Prefeitura de Araraquara, contando com apoio do Sicoob 4434 e do Sebrae Araraquara. 

Durante o período da manhã e da tarde, mulheres empreendedoras puderam comercializar seus produtos de artesanato, hortifrútis e outros alimentos. Além disso, o público presente recebeu orientações financeiras e apoio ao empreendedorismo, consultorias e suporte para negócios. 

“Esse evento é a chance perfeita para celebrar e fortalecer nossas incríveis mulheres empreendedoras locais. Diferente do ano passado, estamos presencialmente em 2023 com uma feira e profissionais prontos para orientações financeiras e de negócios. É uma oportunidade única de valorizar e apoiar as nossas mulheres empreendedoras de nossa Araraquara”, afirmou Angeli. 

A presidenta do Grupo MEA, Néia Castagini, explicou que o coletivo começou com sete mulheres empreendedoras e já está com cerca de mil, nos mais variados segmentos de atuação. “O empreendedorismo é a base do sucesso. A mulher, dentro do movimento, pode se capacitar e criar conhecimento para ter sucesso no negócio”, declarou. 

Para a coordenadora municipal de Economia Criativa e Solidária, Camila Capacle, uma semana municipal que valorize o empreendedorismo feminino é importante para colocar essa questão no centro da discussão, promovendo debates e eventos.

 

“Sempre foi importante para as mulheres essa possibilidade de empreender e utilizar seu potencial criativo e suas habilidades para gerar renda e trabalho. Com a pandemia, isso cresceu muito. Muitas pessoas tiveram que ressignificar suas profissões. Muitas mulheres, mães, começaram a se utilizar do empreendedorismo como fonte de renda, conciliando o trabalho profissional com o cuidado com os familiares. Essa é uma tendência que veio para ficar. A gente tem um crescimento exponencial de feiras acontecendo, todos os finais de semana, e os empreendedores das feiras são 90% mulheres”, afirmou a coordenadora. 

A analista de negócios do Sebrae Araraquara, Larissa Muniz dos Santos Scatolin, destacou algumas dicas para as mulheres que estão pensando em empreender. “É pensar no trabalho que ela exerce como um negócio. Qual o público que ela quer atingir e como fazer para atingir esse público, como trabalhar com a parte de finanças, como trabalhar com o dinheiro da empresa separado do dinheiro pessoal”, relatou.  

Mais orientações podem ser obtidas no Sebrae — Avenida Maria Antônia Camargo de Oliveira (Via Expressa), nº 2903, ou pelo telefone (16) 3303-2420. 

Mudança de vida 

A visão empreendedora mudou a vida da família de Camila Marcos, participante do Programa Municipal de Hortas Urbanas Comunitárias “Colhendo Dignidade” no Jardim São Rafael. Junto com Maria Angélica, ela comercializa o excedente da produção de hortifrútis da horta e outros alimentos, como geleias e doces.  

“A horta tinha o objetivo de levar alimento de qualidade para as mesas das famílias que trabalhavam nela. Com o tempo, a gente conseguiu mudar o regimento da horta e fazer com que ela não só trouxesse o alimento de qualidade, mas que trouxesse renda para nossas casas, que a gente conseguisse pagar nossas contas com o dinheiro que a gente faz na horta”, disse Camila, que agradeceu à Prefeitura, ao MEA e ao Sebrae pela parceria e orientação.  

A maior parte dos clientes é da própria região do São Rafael, mas os produtos também estão sendo levados a feiras em outras regiões da cidade. “A população do bairro aderiu bastante ao projeto, porque é uma verdura de qualidade e com preço acessível. E a gente está procurando participar de todas as feiras que a gente consegue”, relatou Camila. 

Integrante da Associação Mãos que Criam, Elaine Alves participou da feira vendendo produtos de artesanato, como toalhas, guardanapos e tapetes. A loja da associação fica na Avenida Bandeirantes, nº 428, no Centro. 

“A mulher, durante muito tempo, foi excluída de muita coisa. Foi difícil chegar [até aqui]. Foi passo a passo. Hoje, nós temos um campo maior. Foi um avanço muito grande dentro do empreendedorismo também. Daqui para a frente, a gente tende a melhorar e trazer mais mulheres que possam nos ajudar”, disse Elaine. 

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias