quinta-feira, 29, fevereiro, 2024

Novembro Negro: músico Amaral recebe o Título de Honra ao Mérito

Homenagem está marcada para esta sexta-feira, 1º de dezembro, na Câmara Municipal

Mais lido

Nesta sexta-feira, 1º de dezembro, às 19h, na Câmara Municipal de Araraquara, será realizada a solenidade de entrega do Título de Honra ao Mérito a Carlos Alberto do Amaral Lobão, com entrada gratuita para o público. A iniciativa da homenagem é do vereador João Clemente (PSDB).

A entrega do título compõe a programação do Novembro Negro em Araraquara, promovida pela Prefeitura através da Coordenadoria de Políticas Étnico-Raciais. Com o tema “Até onde vai o seu racismo?”, a campanha deste ano tem o objetivo de despertar para reflexão e envolver a população em geral para uma ação prática e efetiva, seja através do impacto visual, do estímulo à conscientização coletiva, mas principalmente para a valorização da identidade e da cultura afro-brasileira.

A coordenadora de Políticas Étnico-Raciais, Alessandra Laurindo, falou sobre a importância da homenagem. “É de suma importância que pessoas como o Amaral sejam reconhecidas e valorizadas em vida. Amaral tem um histórico de contribuição ímpar para o protagonismo do samba para a geração dos anos 90 e 2000 em Araraquara e abriu inúmeras portas para que a cidade tivesse projeção e reconhecimento como a capital nacional do pagode. Sua contribuição e liderança em especial através do grupo Magnatas do Pagode fez toda diferença para que inspirasse inúmeros grupos e jovens a adentrar o mundo cultural. Amaral é merecedor do Título de Cidadão Benemérito de iniciativa do vereador João Clemente dentro da programação do Novembro Negro, pois em muito retrata nossa história”, comentou.
Segundo Alessandra, a história do homem negro em Araraquara é dividida em duas épocas: até 1982, a cidade tinha a Academia do Samba com referência e o negro não dançava nos clubes dos brancos (Clube 22 de Agosto, Náutico, Araraquarense, Palmeirinha, entre outros). Era uma minoria de brancos que frequentavam a Academia do Samba e de negros nos clubes da cidade. Com o fechamento da Academia, iniciou a outra época que o negro começou a ser visto de outra forma. O “batuqueiro” passou a ser sambista e valorizado. Através do samba, os negros começaram a frequentar os clubes, quebraram vários preconceitos e a elite, com muita resistência, passou a olhá-los com outros olhos e percebeu que poderia haver uma convivência harmoniosa. “O samba rompeu barreiras, do preconceito da raça e do samba, e tudo isso aconteceu graças a essa pessoa que com persistência, garra, talento e amor ao samba também fez com que Araraquara fosse considerada a Capital do Samba e do Pagode. É lógico que não podemos nos esquecer de alguns seguidores que colaboraram muito com isso, como Sabaúna (Alma Brasileira), Manoel Clemente (Magnatas e Bem Bolado) e Iracidio, mas o grande bandeirante, e por que não Zumbi do Samba, se chama Carlos Alberto do Amaral Lobão, que fez e continua fazendo pela coletividade negra”, acrescentou Alessandra.

A programação do Novembro Negro em Araraquara vai este sábado (2), com o encerramento da programação na Praça do Daae, com início às 17h30 com o Samba Autêntico com Mestre Irá e participação do sambista Cléber Augusto (ex-Fundo de Quintal). Às 19h30, serão apresentadas as Luzes de Natal, com Teatro 4i e chegada do Papai Noel Negro.

PROGRAMAÇÃO NOVEMBRO NEGRO 2023
Tema: Até onde vai o seu racismo?

1º de dezembro


19h – Título de Honra ao Mérito: Carlos Alberto do Amaral
Iniciativa: Vereador João Clemente
Local: Câmara Municipal

2 de dezembro

Encerramento da Programação
17h30: Samba Autêntico com Mestre Irá e participação do sambista Cléber Augusto (ex-Fundo de Quintal)

19h30: Luzes de Natal; apresentação de Teatro 4i e Papai Noel Negro
Música de Natal
Praça do Daae

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias