sábado, 15, junho, 2024

OS para 2ª fase das obras de escolas do Assentamento Bela Vista será assinada nesta quinta (23)

Obras de reforma e ampliação, eleitas no Orçamento Participativo, contemplam a Emef Prof. "Hermínio Pagotto" e o CER Waldyr Alceu Trigo"

Mais lido

Nesta quinta-feira (23), às 9h, será realizada uma solenidade que marcará a assinatura da Ordem de Serviço para início da 2ª etapa das obras de reforma e ampliação da Emef Prof. Hermínio Pagotto e do CER Waldyr Alceu Trigo, no Assentamento Bela Vista. A obra, que é executada em duas etapas, é uma demanda eleita no Orçamento Participativo (OP).

As duas etapas da obra contam com um investimento total de R$ 8.395.778,31, sendo R$ 5.779.107,27 na primeira etapa e R$ 2.616.671,04 na segunda. Vale acrescentar que a Emef conta com 105 estudantes matriculados, enquanto o CER possui 30 alunos.

Na primeira fase da obra, que foi concluída em junho de 2023, foram executados na Emef os serviços de reforma completa do edifício histórico e criação do centro de memória; reforma da edificação anexa com troca de pisos e revestimentos para atendimento do ensino integral; ampliação da unidade de ensino com a construção de oito salas de aula, refeitório e banheiros. No CER, foram feitas a ampliação de duas salas de atividades, a reforma geral da cozinha, lactário, salas, banheiros e o fechamento do pátio com esquadrias de vidro. Além disso, a área externa também foi contemplada, com requalificação de todo o espaço com construção de passarelas cobertas e acessíveis, recuperação dos brinquedos e viveiro, pintura da quadra poliesportiva e construção de arquibancada.

Nesta segunda fase, estão previstos os serviços de reforma geral e adequações dos prédios existentes, com substituição de piso interno e externo, substituição e revisão da instalação hidráulica em alguns pontos devido à alteração de layout de ambientes, revisão da instalação elétrica, pintura geral das edificações, substituição de esquadrias, reforma de esquadrias, colocação de telas de proteção tipo mosquiteiro, revisão geral das coberturas, calhas e condutores, instalação de corrimões e guarda-corpos, finalização de passarelas, adequações para acessibilidade e adequações gerais que não foram contempladas na primeira etapa; construção de nova lavanderia, quiosque e arquibancada para quadra poliesportiva.

Os homenageados

Hermínio Pagotto nasceu em 2 de fevereiro de 1919, na cidade Guariba-SP, filho de Guerino Pagotto e Clara Maria Sabino. Professor universitário e cirurgião dentista, foi funcionário público da Faculdade de Farmácia e Odontologia de Araraquara e também exerceu a presidência da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD). Entrou na política araraquarense na 2ª legislatura, como suplente de vereador. Eleito vereador para a 3ª e 4ª legislatura, exerceu o cargo de vice-presidente da Mesa Diretora e foi presidente do Legislativo no ano de 1961. Autor de projetos importantes, durante seu mandato oficializou os desfiles cívicos no município de Araraquara. Entre 1969 e 1972, na administração de Rubens Cruz, exerceu o cargo de vice-prefeito do município. Hermínio Pagotto faleceu em 17 de novembro de 1993.

Waldyr Alceu Trigo nasceu em 1º de março de 1938 em Cruz das Posses-SP. Em 1968, se casou com Lígia Eneide Bertagnoli Trigo e teve três filhos: Fabiano, Fabiana e Fernanda. Era médico, farmacêutico-bioquímico e biomédico. Foi prefeito de Sertãozinho pelo MDB entre 1977 e 1982 e foi também eleito deputado estadual pelo PMDB para exercer o mandato nos períodos de 1983 a 1987 e de 1987 a 1991. Durante o exercício do cargo de deputado estadual, participou das Comissões Permanentes de Saúde, Trabalho, Fiscalização e Controle da Assembleia Legislativa e, na Constituinte, foi membro efetivo da Comissão da Ordem Econômica e Social e suplente das comissões do Poder Executivo e de Sistematização. Foi fundador do PSDB em 1988 e integrou seus diretórios regional e nacional. Grande apoiador do Assentamento Bela Vista, Waldyr faleceu no dia 5 de março de 2011 em Sertãozinho-SP.

Histórico da unidade

No final do século XIX e início do século XX, existia nas terras da Fazenda Bela Vista a Escola de Primeiras Letras, oriunda de uma orientação ainda do Antigo Império. Com a consolidação da República, criou-se a necessidade de modernizar o processo educacional brasileiro e, nesse sentido, iniciou-se o processo de construção dos Grupos Escolares no Brasil. O prédio do antigo Grupo Escolar Rural “Comendador Pedro Morganti” foi construído em 1942, na seção Bela Vista da Usina Tamoio, localizada a 18 quilômetros da cidade de Araraquara. O dono dessa fazenda, Pedro Morganti, patrono da escola, era também o dono da usina. O financiamento da construção dessa escola foi da família Morganti. O Grupo Escolar era vinculado à Delegacia Regional de Ensino Básico de Araraquara, pertencente à Divisão Regional de Ensino da Secretaria dos Negócios da Educação e da Saúde Pública do Estado de São Paulo. Em 1970, ficou sob a coordenação da Secretaria da Educação do Estado, pela Coordenadoria do Ensino Básico e Normal.

A princípio, a escola teve o nome de Grupo Escolar Rural “Comendador Pedro Morganti” e atendia educandos do ensino primário. Em 1975, passou a se chamar Primeira Escola Mista da Secção Bela Vista. Em 1977, mudou novamente de nome e passou a se chamar Escola Estadual de Primeiro Grau (Isolada) Secção Bela Vista-Tamoio, até a data de sua desativação, em 1989. Em 1990, com a criação do assentamento e a reativação da escola, em resposta à demanda da comunidade local, mudou para EEPG(R) da Fazenda Bela Vista. Em 1994, passou a ser chamada EEPG(R) Prof. “Hermínio Pagotto”. No ano de 1999, a unidade educacional sofreu nova alteração e passou a ser chamada EE Prof. “Hermínio Pagotto”. Com a sua municipalização em 2002, passou a ser denominada Emef “Hermínio Pagotto” e, a partir de 2003, com a implantação do Programa Escola do Campo, passou a ser chamada de Emef do Campo Prof. “Hermínio Pagotto”. Em 2011, a escola passou por uma reforma na qual se construiu o anexo para a implantação da Unidade de Educação Infantil do Campo “Waldyr Alceu Trigo”. A Emef “Hermínio Pagotto”, integrante do Programa Municipal Educação do Campo, contempla as especificidades da população do campo, a diversidade contida nesse espaço, bem como os saberes e o direito de aprender de cada cidadã e cidadão de qualquer idade e lugar.

Graças à sua proposta pedagógica diferenciada, que valoriza os saberes tradicionais e reforça nos alunos o sentimento de orgulho e pertencimento ao campo, a escola vem ganhando elogios de especialistas, reconhecimento de entidades do setor da Educação e conquistando prêmios. Entre os prêmios relevantes estão o de Gestão Pública e Cidadania da Fundação Getúlio Vargas (2004), o I Prêmio Chopin Tavares de Lima, pelo Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal de São Paulo – Cepam (2004), e o apoio da Embraer para o desenvolvimento de três projetos nas áreas de meio ambiente, tecnologia da informação e livro e leitura (2007 e 2010). Em 2019, veio mais um reconhecimento: a escola foi selecionada para participar da série “Sementes da Educação”, um documentário, que foi ao ar em junho de 2021, com foco no método desenvolvido por escolas inovadoras apresentado no canal Cinebrasil TV.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias