terça-feira, 18, junho, 2024

Prevenção de doenças em animais idosos inspira o “Fevereiro Roxo”

Doenças neurodegenerativas também são lembradas nessa campanha inserida no calendário de meses temáticos

Mais lido

O “Fevereiro Roxo” é uma campanha inserida no calendário de meses temáticos de ações que visam a saúde e bem-estar dos animais. O tema escolhido dessa vez tem o propósito de estimular o debate sobre a prevenção de doenças em animais idosos, incluindo as degenerativas. Assim como os humanos, os animais também enfrentam desafios relacionados à idade, e é crucial proporcionar a eles uma qualidade de vida adequada durante seus anos mais avançados.

Envelhecer é um processo sequencial, individual, acumulativo, irreversível, universal, não patológico, de deterioração de um organismo maduro, de maneira que o tempo o torne menos capaz de fazer frente ao estresse do meio ambiente. Trata-se de um mecanismo mal compreendido, em virtude da sua grande complexidade. Mas, de forma geral, a deterioração orgânica gradual acarretará em declínio do desempenho fisiológico e cognitivo, tornando o indivíduo mais vulnerável, em virtude do aumento de sua fragilidade.

Em uma fase mais avançada do envelhecimento, o acúmulo das deteriorações orgânicas acarretarão em disfunções sistêmicas concomitantes, resultando na senilidade, a qual é caracterizada pelo processo patológico do envelhecimento, resultando em comorbidades (doenças cardiovasculares, doenças endócrinas, doenças ortopédicas, doença renal, doenças do sistema nervoso, entre tantas outras) que comprometem a qualidade de vida dos animais, as quais devem ser tratadas ou manejadas. Portanto, nessa nova fase da vida, os cuidados devem ser intensificados.

Definir uma idade senil para pequenos animais é muito desafiador, visto que inúmeros fatores influenciam no processo do envelhecimento e da senilidade, tais como espécie, raça, genética, manejo, ambiente, etc. Mas, de forma geral, os cães de pequeno porte e gatos atingem essa fase mais tardiamente, quando comparados com cães de raças grandes e gigantes. O aparecimento de alguns sinais permitem o rápido reconhecimento de um cão ou gato senil. Os mais perceptíveis são aparecimento de pelos brancos, alteração do estado sono-vigília (dormem mais). Entretanto, há uma miríade de sinais correlacionados com as enfermidades associadas, por isso o acompanhamento veterinário é imprescindível para garantir o envelhecimento saudável e, na terceira idade, a qualidade de vida do animal.

Não importa o quão bem cuidados sejam, os animais de estimação idosos são, portanto, vulneráveis a problemas relacionados ao envelhecimento, incluindo certas doenças. Isso significa que os animais idosos requerem mais atenção do que os animais mais jovens. Abaixo, seguem algumas considerações básicas e importantes que devem ser consideradas pelos tutores de animais velhos:

• Visitas frequentes ao médico veterinário;

• Oferecer uma dieta de ótima qualidade e específica para essa fase da vida;

• Controlar o peso, tanto a perda quanto o ganho;

• Controlar ecto e endoparasitos;

• Manter as vacinas atualizadas;

• Manter a mobilidade por meio de exercícios adequados;

• Oferecer um ambiente seguro para evitar acidentes e alterar o ambiente conforme a necessidade;

• Quando presente comorbidades, conduzir o tratamento e avaliações conforme prescrito e recomendado pelo médico veterinário, respectivamente;

• Preocupar-se com a qualidade de vida e o bem-estar.

Assim, a campanha “Fevereiro Roxo” visa sensibilizar os tutores de animais sobre esses cuidados específicos para garantir que seus amigos peludos idosos tenham uma vida saudável e feliz. Ao dedicar atenção especial aos animais mais velhos, podemos assegurar que eles envelheçam com dignidade e recebam o amor e cuidado que merecem.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias