sexta-feira, 1, março, 2024

Vacinação contra Brucelose bovina acontece até esta quinta-feira (30)

Produtores rurais devem vacinar todas as fêmeas bovinas e bubalinas com idade entre três e oito meses

Mais lido

A vacinação contra Brucelose está em andamento no estado de São Paulo e os produtores rurais têm até esta quinta-feira, 30 de novembro, para vacinar todas as fêmeas bovinas e bubalinas com idade entre três e oito meses. A declaração da vacina tem prazo de encerramento em 7 de dezembro no sistema de Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave), da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

A coordenadora executiva de Agricultura da Prefeitura de Araraquara, Letícia Valério da Silva Bueno, aponta que a brucelose é uma doença zoonótica que afeta uma variedade de animais, incluindo gado, caprinos, ovinos e suínos, e pode ser transmitida para humanos, representando um grave risco para a saúde pública. “Nos animais, a infecção por Brucella provoca febre, fraqueza, abortos espontâneos e infertilidade, causando não só perdas econômicas significativas para os produtores, mas também um estado de sofrimento intenso para o animal infectado. O aborto, o sintoma mais devastador da Brucelose, ocorre geralmente no último trimestre de gestação, deixando a fêmea em um estado de dor e estresse, e o nascimento de crias fracas ou mortas. A vacinação é, portanto, um componente crítico na gestão da saúde animal e na prevenção desta doença debilitante, assegurando a proteção dos rebanhos e daqueles que dependem deles para o seu sustento e nutrição”, alertou.

A Brucelose bovina é uma doença que se caracteriza por afecções endêmicas como abortamento no terço final de gestação e é uma doença de notificação obrigatória ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e também para a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE). Sua incidência também causa prejuízos econômicos e depreciação do valor social da propriedade, foco da doença devido à diminuição da produção de carne e leite, do aumento do intervalo entre partos e da queda da taxa de natalidade da espécie.

A vacinação obrigatória contra a Brucelose é administrada em uma única dose nas fêmeas e não precisa ser ministrada novamente no decorrer da vida útil do animal. Aos machos, por sua vez, não é permitida a vacinação.

Para manter e preservar o rebanho, a Defesa Agropecuária tem foco na obrigatoriedade da vacinação de bovinos com a vacina B19 ou RB51; no abate sanitário ou eutanásia de animais positivados com a doença e na apresentação de atestado negativo durante o transporte de animais destinados à reprodução ou ainda, para participação em feiras e exposições.

Redação

Mais Artigos

Últimas Notícias